Sociedade | 30-05-2018 10:44

Obras do Mouchão da Póvoa devem estar concluídas até final do ano

O Mouchão da Póvoa, com 1.200 hectares, é um dos três mouchões existentes no concelho de Vila Franca de Xira.

O Governo perspectivou ontem que as obras de reabilitação do Mouchão da Póvoa, uma pequena ilhota situada no Estuário do Tejo, possam estar concluídas até ao final do ano, num investimento de 1,07 milhões de euros.

O Mouchão da Póvoa, com 1.200 hectares, é um dos três mouchões existentes no concelho de Vila Franca de Xira e caracteriza-se pela actividade agrícola ali desenvolvida pelos antigos proprietários.

Em 2016, a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira alertou a Agência Portuguesa do Ambiente para a existência de um “rombo grave” num dos diques de protecção do Mouchão, solicitando uma intervenção urgente.

Depois de dois anos de espera, iniciaram-se esta tarde as obras de recuperação do Mouchão da Póvoa, que terão um prazo de execução de cerca de seis meses e um investimento de 1,7 milhões de euros, segundo referiu aos jornalistas o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, que visitou o local intervencionado.

“Havia aqui, de facto, um rombo, que já tinha alguns anos, que roubou área ao próprio Mouchão. Estamos a falar do maior Mouchão do rio Tejo e que tem duas funções fundamentais. Uma ambiental, porque é um verdadeiro santuário de avifauna e outra agrícola, que deixou de existir”, apontou.

Relativamente à intervenção prevista, o governante explicou que está prevista a reconstrução do troço do dique e de uma porta de água, que foram destruídos, e também a reposição nas traseiras do dique de parte dos terrenos que foram arrastados do interior do mouchão para o leito do Tejo.

“Nós estamos às portas de Lisboa e nós queremos muito que estes 1.200 hectares possam ser utilizados para a produção de bens hortícolas”, afirmou.

João Pedro Matos Fernandes ressalvou que não existe nenhuma intenção de introduzir qualquer atividade turística no Mouchão que implique dormidas, admitindo apenas visitações.

“Não se pode construir no Mouchão. Existem aqui três ou quatro casas que podem ser recuperadas para guardar alfaias agrícolas. Qualquer utilização turística terá de ser apenas ligada à agricultura e será muito mais de visitação do que dormir aqui”, atestou.

Os mouchões são ilhas delimitadas por diques, que resultaram da acumulação de sedimentos ao longo dos séculos, contendo no seu interior um sistema de valas e comportas que têm por função a drenagem e controlo da entrada das águas do rio.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Vale Tejo