Sociedade | 14-06-2018 11:32

Não há seguros para quem desafia os toiros nas largadas

Não há seguros para quem desafia os toiros nas largadas
Seguros não cobrem acidentes ocorridos no interior das tronqueiras

Seguros de festas com actividades taurinas não cobrem danos causados pelos animais dentro das tronqueiras, como aconteceu recentemente na Feira de Maio em Azambuja, onde um octogenário foi colhido mortalmente.

As largadas de toiros, presentes em muitas festas ribatejanas, não têm seguro que cubra danos causados pelos animais aos que se arriscam a desafiá-los. Nas largadas as colhidas são frequentes e por vezes causam mortes, como aconteceu na última Feira de Maio, em Azambuja (ver texto abaixo). Luís de Sousa, presidente da Câmara de Azambuja, entidade que organiza a festa, disse a O MIRANTE que o seguro cobre apenas situações que ocorram fora das tronqueiras (vedação em madeira do recinto onde são largados os toiros). “Dentro das tronqueiras, tudo o que acontecer é da responsabilidade de cada um”, diz o autarca, sublinhando que seria tarefa “impossível” ter um militar da GNR “em cada ponta a dizer às pessoas para não entrarem no recinto”.

“Não nos responsabilizamos por quem vai para a manga”
Em Benavente, na última edição da Festa da Amizade, não se registaram mortes, mas segundo o comandante dos Bombeiros Voluntários de Benavente, José Nepomuceno, registaram-se 20 assistências a pessoas colhidas por toiros, das quais metade foram para o hospital. A próxima edição desta festa é de 28 a 30 de Junho e Sérgio Teles, elemento da organização, assegura que a segurança das pessoas é uma das principais preocupações.

Notícia completa na edição em papel já nas bancas

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo