Sociedade | 25-06-2018 21:37

Sardinhada gigante gratuita realiza-se há 50 anos nas ruas de Benavente

Sardinhada gigante gratuita realiza-se há 50 anos nas ruas de Benavente

O dia começa com um desfile de campinos, cavaleiros amadores e animais pelas ruas da vila.

A Festa da Amizade e da Sardinha Assada assinala no sábado a sua 50.ª edição com uma sardinhada gigante nas ruas de Benavente, oferecendo 5.000 quilos de sardinhas, 10.000 pães e 5.000 litros de vinho.

A Câmara Municipal de Benavente, que, juntamente com a junta de freguesia local, apoia a Comissão que organiza a festa, sublinha, em comunicado, que, apesar deste tipo de iniciativa se ter estendido a muitas localidades de norte a sul do país, Benavente continua a ter “a maior distribuição de sardinhas, pão e vinho” a quem a visita no último sábado de Junho.

Para assinalar as 50 edições da festa, as escolas do concelho foram desafiadas a decorar sardinhas em madeira para serem colocadas em edifícios e em montras, bem como no Museu Municipal, tendo técnicos desta estrutura e “muitos particulares” aderido à iniciativa.

Para a grande sardinhada de sábado está anunciada “a maior concentração de campinos”, largadas, entradas e esperas de toiros, picaria à vara larga, um concerto com os DAMA e muita animação, refere uma nota do município.

A primeira Festa da Amizade realizou-se em 1969 na esplanada do Cine-Teatro de Benavente por iniciativa de um grupo de amigos, que dividiu a despesa de alguns quilos de sardinhas, pão e vinho, convidando outros para se juntarem à festa, à qual “não faltou o toque do Ribatejo com a largada de uma bezerra brava para os mais corajosos”.

“O convívio facilmente saiu fora de portas e tornou-se numa das maiores Festas Populares do País, com dezenas de milhar de visitantes a deslocarem-se no último sábado do mês de junho à vila de Benavente para confraternizar em torno de um fogareiro a assar sardinhas e a beber bom vinho”, afirma a nota.

O dia começa com um desfile de campinos, cavaleiros amadores e animais pelas ruas da vila, seguem-se provas de condução de jogos de cabrestos e a picaria de dois toiros à vara larga, ficando reservado para a tarde “o momento de maior adrenalina do dia”, com campinos e cabrestos a conduzirem um toiro bravo num percurso de perto de um quilómetro “em plena estrada nacional 118”.

As sardinhas começam a ser assadas às 22h00 em 50 fogareiros dispostos ao longo das ruas da vila.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Vale Tejo