Sociedade | 09-07-2018 18:20

Abolir as touradas é não respeitar a liberdade e a pluralidade de pensamento

Abolir as touradas é não respeitar a liberdade e a pluralidade de pensamento

Presidente de Vila Franca de Xira teceu discurso crítico nas festas do Colete Encarnado.

A discussão no Parlamento, na última semana, de uma proposta visando o fim da tauromaquia em Portugal é algo que "não respeita os princípios básicos da liberdade e da pluralidade de pensamento” e que não tem em conta as tradições e culturas profundamente enraizadas nas diferentes regiões do país. A crítica foi deixada pelo presidente da Câmara de Vila Franca de Xira, Alberto Mesquita (PS), durante o tradicional discurso durante a homenagem ao campino, das festas do Colete Encarnado, que se realizaram no fim-de-semana de 6 a 8 de Julho.

“A Tauromaquia é feita das mais diversas manifestações e tem um património muito rico, vasto e singular da nossa cultura popular. O risco de perdermos as características que nos definem é cada vez maior. Felizmente, e esperamos que assim continue, imperou o bom senso e este projecto de lei [de abolição de touradas em Portugal] foi rejeitado. A grande maioria dos nossos deputados votaram contra, mostrando o seu respeito pela diversidade cultural, pelas pessoas e pelas suas tradições. Mas temos que estar conscientes que esta é uma matéria que continuará a ser colocada em agenda”, criticou o autarca. Perante centenas de pessoas que assistiram ao evento principal da festa, Alberto Mesquita prometeu que Vila Franca de Xira “continuará vigilante” e manterá “uma posição muito firme” na defesa da realização de corridas de toiros e de outros espetáculos tauromáquicos em todo o país, “sem qualquer excepção”. Mesquita, perante um estrondoso aplauso, gritou ainda que o concelho se baterá “sempre” pela defesa da festa brava, “porque jamais aceitaremos que nos impeçam, por decreto, de sermos aquilo que somos”, concluiu.

A cerimónia foi plena de emoção para o campino homenageado desta edição, Joaquim Lopes da Silva, que recebeu o pampilho de honra com o nome de Joaquim Isidro dos Santos. Houve também uma pequena homenagem a José Pereira Palha, falecido no último ano, bem como ao ganadero Mário Vinhas, da Ganadaria Mário e Herdeiros de Manuel Vinhas. O desfile pelas ruas da cidade voltou a contar com a banda do Ateneu Vilafranquense, amazonas, cavaleiros, tertúlias e muitos visitantes.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo