Sociedade | 14-07-2018 13:13

A vida de campino mudou com o tempo mas continua a seduzir

A vida de campino mudou com o tempo mas continua a seduzir
Paulo e Duarte Carta

Embora haja alguns campinos que já só montam a cavalo para as festas. A profissão, em muitos casos, vai passando de geração em geração.

O campino, imagem de marca das Festas do Colete Encarnado, foi homenageado este sábado em Vila Franca de Xira. O MIRANTE falou com as pessoas que assistiam à cerimónia da entrega do pampilho de honra e a maioria mostrou que a imagem do campino lhe sugere as ideias de “campo” e “trabalho”. Mas também houve quem falasse em “Ribatejo”, “bois”, “homens valentes”, “Colete Encarnado” e “loucura”.


Os campinos Daniel Coelho, Paulo e Duarte Carta dizem que “trabalho” e “campo” são as palavras mais acertadas para definir a profissão mas mostram que há muito mais a descobrir nessa actividade. “O amor à profissão”, de que nos falou Mário Coutinho, 46 anos, técnico de material aeronáutico, e Cristiano Afonso de 14 anos e estudante, e a “paixão pelo trabalho que praticam” referida por Augusto Madeira, 67 anos, técnico de máquinas, são visíveis nos olhos destes homens quando descrevem o que fazem.

Reportagem completa na edição em papel já nas bancas

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo