Sociedade | 20-07-2018 18:07

Casével: uma freguesia onde se vive bem mas de carrinho à porta

Casével: uma freguesia onde se vive bem mas de carrinho à porta

O MIRANTE foi conhecer gente resiliente que se molda às circunstâncias e ali persiste, faz vida, trabalha e tem filhos.

Rita Costa é um dos exemplos de resiliência. Com 43 anos, é natural da freguesia vizinha, Alcorochel. É casada com Filipe Rangel, de 48 anos, natural de Angola. Viveram em Torres Novas, num apartamento, enquanto Rita trabalhava na sua área de formação, engenharia agrícola, com o curso da Escola Superior Agrária de Santarém.

Durante mais de 10 anos trabalhou como gestora da gama jardim na base do Intermaché, em Bugalhos, Alcanena. No currículo tem também o cadastro olivícola do distrito de Santarém, feito para o INGA-Instituto Nacional de Intervenção e Garantia Agrícola, ou a formação na cooperativa agrícola de Torres Novas, mas o que gostava mesmo de fazer era ter um negócio próprio, de preferência relacionado com as ervas aromáticas. “Galinha de campo não gosta de capoeira”, graceja.

Quando o marido, na altura agente imobiliário, descobriu a casa ideal para saírem da cidade, fê-lo em Casével. Foi em Casével que surgiu a oportunidade de ter o negócio que Rita almejava. Um dia enquanto fazia compras na pequena mercearia do lugar de Perna Atrás ouviu a proprietária dizer que tinha intenção de abandonar o comércio.

Reportagem completa na edição em papel já nas bancas

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo