Sociedade | 09-08-2018 19:08

Materiais Diversos leva projectos premiados ao Festival Bons Sons

Materiais Diversos leva projectos premiados ao Festival Bons Sons

O destaque incide na “apresentação dos dois projectos vencedores da bolsa ‘Filhos do meio’”.

A dança e as artes performativas chegam ao Festival Bons Sons, em Cem Soldos, através da associação Materiais Diversos que no domingo apresenta os dois projectos vencedores da primeira bolsa destinada a apoiar artistas do distrito.

A parceria entre a Materiais Diversos e o Festival Bons Sons, que arranca hoje em Cem Soldos, no concelho de Tomar, reflecte-se este ano na programação do Auditório Agostinho da Silva, onde a associação levará as artes performativas.

O destaque incide, nesta edição, na “apresentação dos dois projectos vencedores da bolsa ‘Filhos do meio’”, disse Teresa Miguel, directora de produção da associação que este ano lançou o projecto destinado a “apoiar e incentivar a criação artística no distrito”.

Dos 12 projectos candidatos à bolsa “Filhos do meio”, a Materiais Diversos seleccionou “Classe do Jaime”, de Susana Domingos Gaspar, e “Senso”, do Colectivo 249, com estreia marcada para domingo no Bons Sons.

O primeiro resulta “do cruzamento entre a dança folclórica e a dança contemporânea”, explicou Teresa Miguel, sublinhando a vertente local do projecto em que dois bailarinos “vão ao encontro de grupos de dança folclórica da região das Serras d’Aire e Candeeiros e propõem um método para aprendizagem do vocabulário tradicional”.

No segundo caso, “Senso”, resulta da prospecção cultural realizada pelo Coletivo 249, constituído por jovens emergentes no campo das artes plásticas, gráficas, audiovisuais e performativas.

Depois de várias entrevistas realizadas em Torres Novas e de uma residência artística em Alcanena (ambas no distrito de Santarém) o colectivo criou uma instalação artística que estará patente no Bons Sons para “fomentar a reflexão sobre a cultura dos territórios”, disse ainda.

A programação da Materiais Diversos inicia-se, no entanto, antes destas duas apresentações, com dois espectáculos de dança agendados para hoje e sábado.

O primeiro denomina-se “Sacro”, um espectáculo que ”explora o mecanismo de caminhar e do movimento respiratório no corpo humano”, pode ler-se num comunicado da associação.

Da autoria de Sara Anjo, a peça foca-se na forma como se caminha, se avança e recua “hoje em dia e nas relações que o corpo humano espelha com os seus antepassados e que fabulações ou projecções [faz] com o futuro”, refere o mesmo documento.

O segundo intitula-se “Um [unimal]”, um solo desenvolvido a partir da ideia de “sobrevivência e que se materializa através da fisicalidade da marcha”, explica a sinopse do espectáculo de Cristina Planas Leitão.

A programação da Materiais Diversos encerra no domingo, último dia do festival, com a mesa-redonda “Filhos do Meio — Os Lugares e os / dos Artistas”, que dará a conhecer os projectos e artistas Filhos do Meio, “procurando compreender a importância desta bolsa nos seus percursos profissionais e pessoais, mas também reflectir sobre a importância da prática artística na vida dos lugares”, divulgou a associação.

A Materiais Diversos é uma associação cultural sem fins lucrativos que incentiva a investigação e experimentação artísticas, procurando atrair e sensibilizar múltiplos públicos para as artes performativas, com especial enfoque na dança contemporânea.

A associação organiza o Festival Materiais Diversos, um projeto pioneiro na promoção do acesso à criação e descentralização artística, que desde 2009 leva a populações e palcos fora dos grandes centros urbanos projetos nas áreas da dança, teatro e música, assinados por jovens criadores e artistas consagrados, portugueses e estrangeiros.

A partir deste ano o festival passará a realizar-se de dois em dois anos.

O Festival Bons Sons é organizado desde 2006 pelo Sport Club Operário de Cem Soldos e manteve-se bienal até 2014, após o que passou a realizar-se anualmente tendo recebido, em oito edições 278 concertos e 238.500 visitantes.

O Bons Sons abre portas hoje em Cem Soldos, no concelho de Tomar, aldeia por cujos oito palcos passarão, até domingo, meia centena de concertos, a par com o “Curtas em flagrante”, um festival de curtas-metragens oriundas de países de língua oficial portuguesa e um vasto programa de actividades paralelas para as famílias.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo