Sociedade | 01-10-2018 12:05

Constância e Abrantes disputam nova ponte sobre o Tejo

Constância e Abrantes disputam nova ponte sobre o Tejo

Posições políticas surgem no âmbito do plano de investimentos públicos que está a ser desenhado para a próxima década na Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo.

A Câmara de Constância considera prioritária uma nova ponte sobre o Tejo nesse concelho ou o reforço da actual travessia, no âmbito do plano de investimentos públicos que está a ser desenhado para a próxima década. O município vincou a sua posição em comunicado, deixando claro que não vai abdicar dessa pretensão, mesmo que não obtenha consenso no seio da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo.

A ponte rodo-ferroviária sobre o Tejo que liga Praia do Ribatejo (Vila Nova da Barquinha) a Constância Sul (Constância) tem o trânsito proibido a veículos pesados desde Abril de 2011 e a circulação faz-se alternadamente nos dois sentidos, graças a regulação semafórica. A Câmara de Constância tem vindo a reclamar, ao longo de sucessivos mandatos, a construção de uma nova ponte. Posição semelhante tem vindo a ser assumida pela Câmara de Abrantes, que também defende a construção de uma nova ponte sobre o Tejo, mas alguns quilómetros a montante, na zona de Tramagal, onde se situa a fábrica da Mitsubishi.

Dificilmente os dois projectos serão contemplados no plano de investimentos para 2020/2030 que está a ser negociado no seio da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo e que posteriormente será entregue ao Governo. A Câmara de Constância, liderada por Sérgio Oliveira (PS), tem consciência disso e, embora garanta que “nunca será uma força de bloqueio aos consensos que são importantes”, sublinha que “nunca deixará de defender os seus interesses e acima de tudo apresentar as soluções que na nossa óptica, e numa análise racional, servem melhor o país e a região”.

No concelho de Abrantes também surgiram recentemente posições políticas a defender uma nova ponte nesse concelho, nomeadamente na Assembleia de Freguesia de Tramagal onde foram aprovadas por unanimidade duas moções nesse sentido.

Curiosamente, os argumentos dos dois concelhos são semelhantes: a urgência da melhoria dos acessos a indústrias importantes situadas a sul do Tejo, como a Mitsubishi (Tramagal) e a Caima (Constância), ao Eco Parque do Relvão (Chamusca) e ao Campo Militar de Santa Margarida (Constância). Grande parte do tráfego pesado que se dirigia para esses locais fazia-se pela ponte de Constância até à interdição desta, em Abril de 2011. Desde aí, camiões, autocarros e outras viaturas pesadas têm de usar como alternativas a ponte da Chamusca ou a ponte de Abrantes.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo