Sociedade | 02-10-2018 18:06

Análises inconclusivas sobre caso de 15 alunos de Samora Correia assistidos no hospital

Análises inconclusivas sobre caso de 15 alunos de Samora Correia assistidos no hospital

Jovens apresentavam vómitos, desmaios e dores de cabeça.

As análises toxicológicas feitas aos 15 alunos da escola básica dos segundos e terceiros ciclos (EB2,3) João Fernandes Pratas de Samora Correia, concelho de Benavente, que no dia 28 de Setembro foram transportados para o hospital com náuseas, vómitos e desmaios, foram inconclusivas quanto à causa para as indisposições dos jovens. A informação é avançada pelo presidente do município, Carlos Coutinho (CDU), que tem acompanhado o caso e garante que não há qualquer indício de problemas com aquele estabelecimento de ensino, que é da responsabilidade do Ministério da Educação.

Em causa está um conjunto de sintomas apresentados pelos jovens durante as aulas, incluindo desmaios, vómitos e fortes dores de cabeça, que obrigaram os bombeiros do concelho a transportar os alunos para o Hospital Vila Franca de Xira, tendo a maioria sido enviada para casa no próprio dia.

A direcção do agrupamento já veio informar os encarregados de educação que a escola mantém o seu normal funcionamento. “Não foi identificado qualquer problema no ambiente escolar que possa pôr em risco a segurança e a saúde dos nossos alunos. Qualquer situação que ocorra será resolvida de acordo com o protocolo instituído habitualmente”, acrescenta a escola.

Também Carlos Coutinho garante que as análises feitas no hospital permitem determinar que não há nada que indique que se tratou de intoxicações alimentares ou insolações, como alguns pais chegaram a especular na altura. Ainda assim, vários encarregados de educação estão apreensivos com a situação e alguns garantem que, por agora, vão manter os jovens em casa e sem ir às aulas.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo