Sociedade | 10-11-2018 07:00

Resitejo sai de cena para dar lugar a empresa intermunicipal

Resitejo sai de cena para dar lugar a empresa intermunicipal

RSTJ - Gestão e Tratamento de Resíduos deve estar criada nos primeiros meses de 2019 para substituir a associação com sede no Eco Parque do Relvão.

A nova empresa intermunicipal que vai substituir a Resitejo – Associação de Gestão e Tratamento dos Lixos do Médio Tejo deve estar criada no primeiro trimestre de 2019, segundo estima o administrador delegado da Resitejo, Diamantino Duarte.

As diligências formais para constituição da RSTJ - Gestão e Tratamento de Resíduos, que se vai dedicar à gestão de resíduos, limpeza urbana e valorização energética, encontram-se na fase final. Em Dezembro, as assembleias municipais dos dez municípios aderentes devem aprovar o plano de dissolução e liquidação da Resitejo, bem como a minuta de constituição da nova empresa e a transmissão do património da Resitejo para a RSTJ. Depois desses passos dados, fica a faltar o visto final do Tribunal de Contas e a realização das escrituras.

O processo burocrático e político em curso visa dar enquadramento legal à actividade actualmente tutelada pela Resitejo, uma associação de direito privado. A legislação de 2009 refere que “a gestão dos serviços municipais de abastecimento público de água, de saneamento de águas residuais urbanas e de gestão de resíduos urbanos é uma atribuição dos municípios e pode ser por eles prosseguida isoladamente ou através de associações de municípios ou áreas metropolitanas, mediante sistemas intermunicipais”.

Noticia desenvolvida na próxima edição semanal de O MIRANTE

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1378
    22-11-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1378
    22-11-2018
    Capa Vale Tejo