Sociedade | 30-11-2018 18:00

Falta de água é problema recorrente em Aveiras de Cima

Falta de água é problema recorrente em Aveiras de Cima

Condutas já ultrapassaram em dez anos o seu período de vida útil

Rupturas constantes nas condutas levam ao desespero a população da freguesia, que exige intervenção urgente.

A substituição das condutas que levam água para abastecimento público até à freguesia de Aveiras de Cima, no concelho de Azambuja, está com anos de atraso. O arrastar da situação tem motivado queixas de moradores e comerciantes, que chegam a ficar três dias sem água nas torneiras devido a rupturas.
“A última interrupção durou um fim-de-semana inteiro e impediu-me de fazer a minha vida normalmente. Não posso cozinhar ou fazer a higiene diária em condições normais. Tenho de ir comprar garrafas de água”, critica Maria Feteira, moradora da rua Dr. Francisco Maria de Almeida Grandela.

A comerciante Maria Silvina, que ajuda o seu neto no Café Lareira, queixa-se do mesmo problema que “afecta as máquinas do café e estraga os electrodomésticos”, porque muitas vezes quando o abastcimento é reposto a água vem com areias. “Temos de recorrer a garrafões de água para tirar os cafés e não podemos lavar a loiça. Para além disso causa transtorno aos clientes porque ficam impossibilitados de utilizar a casa de banho do café”, acrescenta.

O presidente da câmara de Azambuja, Luís de Sousa (PS), lamentou, em reunião do executivo, os prejuízos causados à população de Aveiras de Cima e sublinha que tem pressionado a Águas de Azambuja, empresa concessionária do serviço de abastecimento de água no concelho e que tem em mãos o projecto que contempla a requalificação das condutas existentes e a construção de um novo adutor de Alcoentre até Aveiras de Cima.

Notícia completa na edição de O MIRANTE já nas bancas

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo