Sociedade | 03-12-2018

Morcelada voltou à mesa pelo Vitória FC Mindense

1 / 10
Morcelada voltou à mesa pelo Vitória FC Mindense
2 / 10
Morcelada voltou à mesa pelo Vitória FC Mindense
3 / 10
Morcelada voltou à mesa pelo Vitória FC Mindense
4 / 10
Morcelada voltou à mesa pelo Vitória FC Mindense
5 / 10
Morcelada voltou à mesa pelo Vitória FC Mindense
6 / 10
Morcelada voltou à mesa pelo Vitória FC Mindense
7 / 10
Morcelada voltou à mesa pelo Vitória FC Mindense
8 / 10
Morcelada voltou à mesa pelo Vitória FC Mindense
9 / 10
Morcelada voltou à mesa pelo Vitória FC Mindense
10 / 10
Morcelada voltou à mesa pelo Vitória FC Mindense

A última edição da morcelada com couves aconteceu no domingo, 2 de Dezembro, mas O MIRANTE quis espreitar os preparativos no dia anterior.

O almoço de morcela à mindrica já é tradição em Minde, o evento organizado pelos amigos do Vitória Futebol Clube Mindense, desde 2008, tem como objectivo angariar fundos para apoiar a actividade desportiva, principalmente dos escalões mais jovens. A última edição aconteceu no domingo, 2 de Dezembro, mas O MIRANTE quis espreitar os preparativos no dia anterior.

Miguel Fernandes, presidente do clube há 14 anos, recebe-nos no Salão Paroquial Ana Sonça, onde as mesas já estão postas para acolher algumas centenas de pessoas, contudo a verdadeira azáfama está na cozinha.

Embrenhadas num cheiro intenso a cominhos, dezena e meia de mulheres acotovelam-se e tratam das carnes, das morcelas e das couves. São familiares dos membros da direcção do clube ou de jogadores.

Adelaide, com 76 anos, faz parte desta celebração desde o o início, é a mais velha do grupo e é apontada pelas restantes como a chefe. Um estatuto que nega com um sorriso rasgado no rosto.

Lisete Castanheira, de 37 anos, já participa há cinco anos. É ela quem coze as morcelas que são preparadas mesmo ali ao lado pelas mãos da sua mãe, Águeda Castanheira e mais uns quantos pares de mãos habilidosas que misturam nas quantidades certas os cominhos, o cravinho, a carne de porco, a salsa e a cebola, o arroz e o sangue. Águeda diz que há um segredo para a morcela mindrica, mas não o revela. O segredo das couves foi-nos confessado por Lisete: “são cozidas no caldo da cozedura das morcelas”.

Já o segredo para tudo correr bem na cozinha é a participação das mulheres. “Sem elas nada disto acontecia”, diz Miguel Fernandes, reconhecendo que “são incansáveis”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo