Sociedade | 31-12-2018 15:00

Quando uma pessoa se empenha num negócio ele acaba por florescer

Quando uma pessoa se empenha num negócio ele acaba por florescer
IDENTIDADE PROFISSIONAL

Orlando Patrício é um dos sócios-gerentes da JOPatrício de Salvaterra de Magos

É um apaixonado por máquinas agrícolas, em especial tractores, e começou a trabalhar aos 14 anos. Hoje gere com o irmão, José, uma das principais oficinas do Ribatejo que se dedica à venda de máquinas agrícolas, novas e usadas, faz reparações de automóveis e veículos agrícolas e dá assistência técnica, tanto na sua oficina como fora dela.

Trabalho e empenho permanente. Estes são os segredos do sucesso de um negócio, na opinião de Orlando Patrício, 46 anos, um dos sócios-gerentes da JOPatrício de Salvaterra de Magos. Orlando é uma pessoa sem medo de arregaçar as mangas e lançar-se ao trabalho, confessando-se um perfeccionista que lida mal com o facilitismo.

“Quando uma pessoa se empenha num negócio ele acaba por florescer. Mas nunca podemos dar um salto maior que a perna. Mesmo com dificuldades tudo o que angariámos nesta empresa é para os empregados e para melhorar as condições de trabalho, para modernizar a empresa”, conta a O MIRANTE.

Para este empresário natural de Salvaterra de Magos, a crise não passou e nunca vai passar. “Nós é que temos de resolver a nossa vida para que não haja crise. Para quem trabalha todos os dias no duro não há crise”, refere. Embora admita que, por vezes, ainda é necessária muita ginástica e noites mal dormidas para que nada falhe na empresa.

Orlando Patrício gere a empresa com o irmão, José Patrício. O seu primeiro emprego foi numa oficina de serralharia como ajudante, tinha na altura 14 anos. Antes já ajudava o pai na agricultura e foi aí que nasceu o gosto pelas máquinas agrícolas e pelos tractores. “Na altura era um trabalho difícil, não havia cabines com ar condicionado como hoje”, recorda.

Aos 15 anos entrou na fábrica da Mecânica Agrícola em Benavente, onde começou a trabalhar com a marca Massey Ferguson. Foi nesse momento, confessa, que nasceu um amor profundo com a marca que hoje em dia representa e vende oficialmente. “Na altura não quis estudar, só pensava em trabalhar cedo para ter a minha autonomia. Hoje arrependo-me dessa decisão mas as coisas até nem correram tão mal como era suposto. Aprendi a profissão e hoje sou mecânico de máquinas agrícolas. Sempre gostei deste trabalho e sempre me fascinou a parte da agricultura”, conta.

Sem medo de dar o litro pela empresa
Orlando é uma pessoa sem medo de trabalhar e dá o litro pela empresa. Nos períodos de campanha chega a levantar-se antes das 06h00 da manhã para responder às necessidades dos clientes. “Actualmente andamos atarefados em reparações para preparar uma nova campanha. Continuo a trabalhar todos os sábados, porque com os empregados que temos não conseguimos dar vazão a todo o trabalho. Mas é sinal que as coisas estão a correr bem. Prefiro andar preocupado por ter muito trabalho do que estar preocupado por ter a oficina limpa e vazia”, refere.

Longe vão os tempos em que a empresa era apenas Orlando e o irmão. Hoje em dia a equipa é composta por oito pessoas e a área de trabalho tem mais de 500 metros quadrados, juntamente com uma secção de peças aberta ao público.
“No início não tinha ajuda e um dia caí de um tractor e fracturei a coluna. Já tive três operações e continuo um pouco debilitado. Caí de costas quando o estava a reparar, entalei-me e caí. Enquanto não resolvo um problema não descanso. Não é da minha maneira de ser”, recorda.

Para Orlando Patrício um dos valores fundamentais de quem tem um negócio é ser sério. “Ensino todos os dias aos meus colaboradores que não se pode mentir ou enganar o cliente. Se houver um problema com uma máquina em que as coisas não corram bem prefiro ser frontal e dizer ao cliente o que se passou, se ele não tiver de pagar não paga. Isto é uma casa séria e é assim que quero que continue”, defende.

Situada em Salvaterra de Magos, a JOPatrício dedica-se à venda de máquinas agrícolas, novas e usadas, faz reparações de automóveis e veículos agrícolas e dá assistência técnica, tanto na sua oficina como fora dela através das oficinas móveis. A sua zona de abrangência estende-se de Santarém a Setúbal.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº1391
    20-02-2019
    Capa Médio Tejo
    Edição nº1391
    20-02-2019
    Capa Vale Tejo