Sociedade | 05-02-2019 10:00

Trabalhadores da Rodoviária do Tejo, Oeste e Lis admitem nova greve

Sindicato fala numa adesão de 80%. Para a empresa a adesão total à greve ronda 27% dos efectivos ao serviço. Braço de ferro continua e trabalhadores ameaçam com duas semanas de greve depois do Carnaval.

Os trabalhadores da Rodoviária do Tejo, Lis e Oeste admitem parar durante duas semanas entre as 00h00 e as 09h00 caso a greve de dois dias iniciada a 4 de Fevereiro não leve a empresa a subir a proposta de actualização salarial.

Manuel Castelão, delegado do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos de Portugal (STRUP), refere uma adesão de 80% no primeiro dia de greve, ligeiramente abaixo da realizada há um mês, estando encerrados os centros de Abrantes, Ourém, Cartaxo, Bombarral e Leiria. Segundo a empresa a adesão total à greve ronda 27% dos efectivos ao serviço.

Nos plenários realizados durante o fim-de-semana nos vários centros da empresa, nos distritos de Santarém e de Leiria, após a ausência de acordo com a administração da empresa na reunião realizada na passada quinta-feira, foi decidido que, à falta de uma nova proposta, os trabalhadores vão avançar, depois doCarnaval, com nova paralisação de duas semanas entre as 00h00 e as 09h00.

Em nota de imprensa, a administração da Rodoviária do Tejo refere que a actualização reivindicada pelo STRUP (superior a 10%) levaria a um acréscimo de custos incomportável pondo em causa a sustentabilidade económica da empresa.

A Rodoviária diz que aguarda a conclusão das negociações e aplicará, em Março, o que vier a ser acordado.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº1391
    20-02-2019
    Capa Médio Tejo
    Edição nº1391
    20-02-2019
    Capa Vale Tejo