Sociedade | 08-06-2019 07:00

Câmara de Ourém prevê investimento de 116 milhões de euros no concelho até 2030

Câmara de Ourém prevê investimento de 116 milhões de euros no concelho até 2030

Autarquia apresentou Plano Estratégico e Prioridades de Investimento.

A Câmara de Ourém prevê um investimento de 116 milhões de euros até 2030 em diferentes sectores para melhorar o concelho e atrair mais empresas e habitantes, disse o presidente, Luís Albuquerque (PSD), durante a apresentação do Plano Estratégico e Prioridades de Investimento para o período 2020-2030, no âmbito da revisão do Plano Director Municipal (PDM) em curso. O autarca explicou que os projectos previstos totalizam um investimento total de 116 milhões de euros, dos quais 38 milhões de euros serão da responsabilidade do município.

Os restantes investimentos vão ter contribuição intermunicipal (como o saneamento básico), de fundos comunitários e eventuais empréstimos bancários. O plano estratégico prevê uma maior cobertura de equipamentos e serviços públicos, como o pavilhão desportivo de Ourém e o Fórum Cultural. Prioridade será também a “mobilidade suave”, com a expansão do parque ribeirinho, a criação de um parque da cidade em Fátima e a construção de uma ciclovia que irá ligar Ourém e a freguesia de Fátima.

Outra medida prevista será o desenvolvimento do potencial turístico, com a possibilidade de criar um parque de campismo e caravanismo, assim como um passadiço, na zona da praia fluvial do Agroal. “Queremos assegurar melhores acessibilidades internas e externas. Prevê-se a ligação do IC9 à A1, a reabilitação da Estrada Nacional 356 e das vias que ligam Ourém a Fátima e Leiria a Fátima”, revelou ainda.

Luís Albuquerque adiantou que está prevista a reabilitação da Avenida Papa João XXIII e da variante ao parque de negócios de Fátima. Com o objectivo de captar mais empresários, empresas e sectores de negócio para o concelho, o autarca prevê criar melhores condições nos seus parques de negócio. Fátima é um dos locais do mundo eleita para o turismo religioso, mas Luís Albuquerque pretende que o concelho ofereça também turismo cultural e patrimonial, apostando mais na parte sul de Ourém.

Além da requalificação do castelo de Ourém existem projectos para requalificar as acessibilidades e melhorar a oferta cultural. “Este PDM está numa fase de revisão que tem de estar concluída até Junho de 2020. Vamos ter a possibilidade de garantir mais de 33 mil novas habitações e 99 mil novos habitantes. Ninguém poderá dizer que não há locais para construir. Admito que são números ambiciosos, mas queremos fixar mais gente no nosso território”, salientou.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1408
    19-06-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1408
    19-06-2019
    Capa Médio Tejo