Economia | 17-01-2023 15:00

Casas em Vila Franca de Xira custam o dobro em relação a Santarém

Casas em Vila Franca de Xira custam o dobro em relação a Santarém
Santarém está hoje na lista das capitais de distrito onde é mais barato comprar casa

Santarém é a capital de distrito do país que tem em média as casas mais baratas.

Salvaterra de Magos é o concelho do distrito de Santarém com o preço mais elevado por metro quadrado sendo que uma casa pode custar cerca de 400 euros mais do que na capital de distrito. Alpiarça e Almeirim foram os concelhos onde o preço das casas mais subiu. Em Ourém, Chamusca e Mação ficaram mais baratas.

Vila Franca de Xira é a cidade do Vale do Tejo onde o preço das casas é dos mais elevados do país. Santarém é a capital de distrito com o preço mais baixo por metro quadrado. O concelho com o preço mais baixo das casas é Mação, onde em média uma casa custa 535 euros por metro quadrado e os preços desceram a par de outros dois concelhos do distrito de Santarém. Na cidade a norte do distrito de Lisboa, que faz parte da área de influência de O MIRANTE, o preço médio de uma casa por metro quadrado é de 2.004 euros e em Santarém é cerca de metade: 1.029 euros.
Os dados constam do portal de imobiliário Idealista, que voltou a compilar os dados sobre a evolução dos preços das casas à venda no último ano e onde as notícias não são boas para as famílias: os preços subiram em todos os concelhos da região com apenas três excepções. Ourém é o concelho com a maior descida nos preços, de 11,7%, seguindo-se Chamusca e Mação, ambos com um decréscimo de 8,5%.
No distrito de Santarém há concelhos rurais onde o preço das casas, em média, é mais caro do que na própria capital de distrito. É o caso de Salvaterra de Magos, concelho que lidera os preços com 1.411 euros por metro quadrado, mais 382 euros que em Santarém (1.029). Seguem-se por ordem decrescente: Benavente (1.354 euros), Coruche (1.215), Azambuja (1.157) e Almeirim (1.019).
Depois de Mação, que é o concelho mais barato para se comprar casa, seguem por ordem crescente os concelhos de: Chamusca (566 euros), Alcanena (595), Ferreira do Zêzere (642), Abrantes (711), Constância (768), Vila Nova da Barquinha (785), Alpiarça (829), Torres Novas (835), Golegã (880), Tomar (906), Rio Maior (940), Ourém (951), Entroncamento (954) e Cartaxo com 962 euros por metro quadrado.
O concelho de Alpiarça, onde o preço médio é de 829 euros por metro quadrado, foi onde as casas mais aumentaram de preço (46,6%), seguido de Almeirim com subidas de 31%, Salvaterra de Magos (30%) e Vila Nova da Barquinha (23%). Mesmo assim com números muito afastados dos preços que se praticam em Lisboa, onde o metro quadrado de betão construído não custa menos de cinco mil euros. O Porto, com casas a três mil euros, é o segundo da lista, seguido do Funchal, Madeira, com 2.656 euros.
Na última semana vários profissionais do sector da habitação mostraram expectativas que os preços suavizem este ano, consequência do travão imposto pela inflação, o aumento das taxas de juro e a maior dificuldade na aprovação de crédito imobiliário.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Médio Tejo