Entrevista | 16-04-2019 10:00

Ana Isabel Ganhão Vicente 

Ana Isabel Ganhão Vicente 
AGORA FALO EU

Terapeuta In Natura, 38 anos, Alcanena

Que figura pública gostava de convidar para lanchar? Gosto sempre de estar com os meus amigos e sendo assim o convite seria feito a um amigo. Faz-me bem conversar com as pessoas que me são queridas.

Qual o alimento que não comia nem que lhe pagassem? Não era capaz de comer insectos.

Fazem falta mais mulheres na política? Considero que fazem falta mais mulheres na política. As mulheres têm uma visão das situações diferente dos homens e enriquecem a política.

Qual foi a melhor viagem (ou passeio) que fez até hoje? A viagem que mais gostei de fazer foi à Alemanha, a um parque de diversões. Gosto muito de parques de diversões, porque adoro a diversão e a adrenalina.

Gosta de comemorar os seus aniversários? Qual o melhor presente que já recebeu? Festejar propriamente o aniversário não, mas gosto imenso de estar com a minha família e amigos chegados. Quanto a presentes, nenhum é melhor do que outro mas gosto muito de livros.

Qual é o seu truque para manter a calma perante um imprevisto? Obviamente que depende do imprevisto, mas tudo tem resolução na vida e portanto é de manter a calma.

As pessoas preocupam-se mais ou menos com a saúde? Fazem prevenção? Diria que hoje em dia as pessoas estão mais despertas para a saúde mas mesmo assim acho que falha muita coisa, sobretudo em termos alimentares. As pessoas comem muito mal. Uma das soluções para isso passa por voltar aos alimentos e pratos do antigamente.

Ler jornais é saber mais? Não necessariamente. É preciso saber ler, interpretar... e escolher bem as fontes de leitura.

Qual a tradição que nunca podemos deixar morrer? As tradições são a alma de um país. Todas são importantes.

Era capaz de se tornar vegan? Acho que seria capaz de me tornar vegan.

Prefere dar ou receber? Gosto muito de receber mas tenho mais tendência para dar.

Quais as qualidades que mais aprecia numa pessoa? O que aprecio mais numa pessoa é a honestidade, o bom humor, a generosidade, a sinceridade e a simplicidade.

De quantas horas de sono precisa para acordar bem-disposta? Não preciso de muitas horas para estar bem durante o dia. Por norma estou sempre bem-disposta.

Era capaz de viver sem música? Para mim seria impossível viver sem música. Adoro ouvir música todos os dias.

Como é um dia bem passado? Fazer o meu trabalho e nos tempos livres estar com as pessoas de quem gosto. Também gosto de ler, estudar para fazer novas formações e passear ao ar livre.

Conseguia viver sem telemóvel? Infelizmente não. É uma ferramenta de trabalho e permite-me saber, muito rapidamente, dos meus familiares e faz-me sentir próxima das pessoas.

Durante quanto tempo é capaz de guardar um segredo? Um segredo guarda-se para sempre, senão não era segredo.

Tem cuidados com o meio ambiente? Tenho vários cuidados com o meio ambiente. Não deito lixo para o chão; faço reciclagem de papel, plásticos e vidros. Prefiro alimentos biológicos. Também gostaria de usar menos o automóvel, porém devido às deslocações que faço para o Hospital das Forças Armadas em Lisboa, bem como para a In Natura em Alcanena, é difícil usar menos o carro.

Quantos verdadeiros amigos acha que tem? Tenho poucos amigos, mas bons. Diria que os principais e os mais importantes são os meus pais.

Do que é que sente mais saudades? Porquê? Do que sinto mais saudade é do meu país natal, a Suíça. Da cultura de rigor e da maneira de estar das pessoas.

Que estação do ano prefere? As estações do ano que prefiro são as amenas, Primavera e Outono.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1423
    03-10-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1423
    03-10-2019
    Capa Médio Tejo