Entrevista | 06-05-2019 18:00

“A indústria de curtumes desempenha um papel ecológico importante”

“A indústria de curtumes desempenha um papel ecológico importante”
TRÊS DIMENSÕES

Joaquim Inácio é sócio e administrador da empresa de curtumes fundada pelo pai.

Interrompi os estudos para cumprir serviço militar, que na altura era obrigatório. Entrei na Faculdade de Ciências de Lisboa no curso de Engenharia Química, mas passado dois anos fui incorporado. Participei enquanto militar na guerra do Ultramar. Estive em Angola entre os 23 e os 26 anos.

A guerra deu-me amigos para a vida mas não foi um período fácil da minha vida. Quando estive em Angola a situação era muito complicada. Eu e os que lá estiveram comigo, juntamo-nos todos os anos, em Junho, para um almoço de convívio.

Sempre que posso estou com os meus netos. Até posso não estar a fazer nada com eles mas basta-me vê-los a brincar para me sentir satisfeito. Os meus netos são as meninas dos meus olhos.
A minha infância foi passada na rua, com os meus companheiros, vizinhos e primos. Brincávamos à apanhada, à fisga, ao pião , aos cobóis e íamos à caça dos pássaros pelas hortas e fazendas próximas.

Um dos meus primos, o Rogério, construía ele próprio brinquedos diversos com um canivete e um pedaço de madeira. Era um pouco mais velho que nós e tinha muita habilidade. Conseguia reproduzir na perfeição um revólver como aqueles que se viam nas revistas de cobóis. Era um verdadeiro artista.

Gosto de fazer petiscos. Normalmente, lá em casa é a minha mulher que realiza as tarefas domésticas e, mesmo na cozinha, é ela que manda porque diz que sou indisciplinado. Ainda assim, de vez em quando, deixa-me ir para a frente do fogão para fazer as minhas patuscadas.

Sou apreciador de pratos da gastronomia típica portuguesa. Um dos meus pratos favoritos é, sem dúvida, o cozido à portuguesa. Mas, sou também fã de iguarias que incluam peixes do mar.

Já estive em vários países da Europa, na América e até na Rússia. Gosto de conhecer novas culturas. Muitas dessas viagens fi-las devido às minhas funções profissionais. É uma forma de ir à descoberta de novas realidades. Quem viaja tem oportunidade de ter uma visão mais aberta e não tão limitada da sociedade.

Os maus cheiros que se verificaram mais acentuadamente em Alcanena eram evitáveis. Felizmente as empresas de curtumes souberam enfrentar a situação e resolveram-na com êxito.

A indústria de curtumes desempenha um papel ecológico importante. Esta indústria consegue não só aproveitar, mas também valorizar um desperdício da alimentação humana que são as peles dos animais.
Os profissionais estão preocupados com o futuro do sistema de tratamento integrado dos resíduos da indústria. Acredito que constituirá uma oportunidade positiva e única se for assegurado pelos industriais regulados pelo poder central ou será um desastre, sendo entregue à exploração estatal.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1407
    13-06-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1407
    13-06-2019
    Capa Médio Tejo