O MIRANTE | 27-02-2020

Emoções à flor da pele, família e recados marcaram discursos das Personalidades do Ano

1 / 14
Emoções à flor da pele, família e recados marcaram discursos das Personalidades do Ano
2 / 14
Emoções à flor da pele, família e recados marcaram discursos das Personalidades do Ano
3 / 14
Emoções à flor da pele, família e recados marcaram discursos das Personalidades do Ano
4 / 14
Emoções à flor da pele, família e recados marcaram discursos das Personalidades do Ano
5 / 14
Emoções à flor da pele, família e recados marcaram discursos das Personalidades do Ano
6 / 14
Emoções à flor da pele, família e recados marcaram discursos das Personalidades do Ano
7 / 14
Emoções à flor da pele, família e recados marcaram discursos das Personalidades do Ano
8 / 14
Emoções à flor da pele, família e recados marcaram discursos das Personalidades do Ano
9 / 14
Emoções à flor da pele, família e recados marcaram discursos das Personalidades do Ano
10 / 14
Emoções à flor da pele, família e recados marcaram discursos das Personalidades do Ano
11 / 14
Emoções à flor da pele, família e recados marcaram discursos das Personalidades do Ano
12 / 14
Emoções à flor da pele, família e recados marcaram discursos das Personalidades do Ano
13 / 14
Emoções à flor da pele, família e recados marcaram discursos das Personalidades do Ano
14 / 14
Emoções à flor da pele, família e recados marcaram discursos das Personalidades do Ano

José Gomes Ferreira fez-se representar para poder estar com o pai que estava doente.

A família, sobretudo a figura materna, foi evocada por muitas das Personalidades do Ano de O MIRANTE. Numa cerimónia marcadamente emotiva houve também espaço para deixar recados a autarcas e empresários. O jornalista José Gomes Ferreira, Personalidade do Ano, fez-se representar pelo director de informação da SIC, Ricardo Costa, para estar junto do pai que estava hospitalizado.

A exaltação dos valores da família marcou os discursos de agradecimento dos prémios Personalidade do Ano de O MIRANTE, entregues na tarde de quinta-feira, 20 de Fevereiro, numa cerimónia que juntou cerca de seis centenas de pessoas, entre personalidades, empresários, autarcas, amigos e familiares, no Convento de São Francisco, em Santarém.
Foi por esses valores que José Gomes Ferreira, agraciado com o prémio Personalidade do Ano, não pôde estar presente. Com o pai doente, no Hospital de Tomar, o jornalista da SIC faltou à entrega do prémio e fez-se substituir por Ricardo Costa, director de informação daquela estação televisiva.

“Corajoso, sério, trabalhador, persistente e com uma qualidade rara nos jornalistas que trabalham e vivem em Lisboa, que é viver fora da ‘bolha’ do jornalismo lisboeta porque faz questão de conhecer o país”. Foi assim que o colega de profissão o descreveu, lembrando que José Gomes Ferreira aproveita todas as ocasiões para sublinhar as suas origens, a freguesia de Serra, no concelho de Tomar.

Manuel e Miguel Campilho, administradores da Sociedade Agrícola da Quinta da Lagoalva de Cima e prémio Excelência de O MIRANTE, agradeceram à mulher “imbatível” que foi a mãe. Uma mulher inteligente que preparou os filhos para a missão que desempenham hoje apaixonadamente. Foi igualmente a paixão que os moveu a pensar o Tejo e a procurar soluções para o rio que lhes passa à porta.

A figura materna foi também invocada por João Pita Soares, prémio Personalidade do Ano Vida. “Uma mulher extraordinária cheia de força, determinação e inteligência”, referiu. Realçando o apoio da família como importante para ultrapassar as adversidades da vida, o médico lembrou ainda o pai, que não conheceu mas que pelo seu legado construiu a imagem de uma homem culto e profundamente humanista, e os oito irmãos.

A família, quer biológica quer adquirida e a família autárquica, foi evocada por Veiga Maltez, Personalidade Política Masculino. O autarca agradeceu o gesto de cortesia e consideração num país onde as homenagens na maioria das vezes são póstumas.

“A homenagem engrandece o homem, é uma massagem ao ego, mas tem um senão, aumenta-nos os compromissos e cobra-nos responsabilidades”, lembrou o homem que gosta de ser tratado como médico autarca e não como político, um nome que, diz, hoje se associa a algo negativo e depreciativo.

Autarca, mãe, esposa e filha, Inês Correia, Personalidade Política Feminino, confessou que a causa pública lhe tira muito tempo e muitas horas de sono. Contudo, sublinha, é como presidente de junta que sente que pode fazer a diferença, contando com todos os que têm acreditado em si, desde a família, aos cidadãos da freguesia e colegas de executivo.
Isabel Jonet, Personalidade do Ano Nacional, subiu ao palco quase no fim da cerimónia e começou por dizer que a família teria que esperar um pouco mais pelo jantar. “Não sabia para o que vinha, mas estou mais alegre aqui e espero que eles se safem sozinhos com as ervilhas e os ovos escalfados”, gracejou a directora do Banco Alimentar Contra a Fome. Habituada a receber distinções em nome da instituição que representa, Isabel Jonet considerou o prémio de O MIRANTE, atribuído a título individual, “comovente e uma honra”.

Manuel Costa Braz emocionou-se tal como o pai, tenente-coronel Manuel Costa Braz, se havia emocionado em 2015 quando recebeu o prémio Personalidade do Ano Vida. Com a voz embargada recebeu o prémio Personalidade do Ano a Título Póstumo atribuído à memória de seu pai e elogiou “o homem de convicções, discreto e de uma honestidade a toda a prova. Um homem de carácter e um pilar da família”, falecido a 2 de Julho de 2019.

Prémios dão força para seguir em frente

Ana Cláudia Cohen, directora do Agrupamento de Escolas de Alcanena, prémio Prestígio, foi surpreendida com uma declaração gravada pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues. Foi com emoção e orgulho que a directora do único agrupamento do concelho de Alcanena falou dos seus alunos como agentes transformadores.

“Cada aluno que entra ao portão da escola pela primeira vez pode ser um cidadão transformador da escola, da comunidade, da região, do país, da Europa, do Mundo e do planeta”, frisou destacando que é graças a eles, ao corpo docente e a todos os funcionários que se consegue atingir a excelência.

Em representação da Casa de São Pedro de Alverca, prémio Personalidade do Ano - Associativismo, subiu ao palco Luciana Nelas. Para a presidente da direcção o prémio é o resultado do empenho de muitos técnicos e trabalhadores que têm conseguido ultrapassar dificuldades e é um incentivo que dá força para o projecto seguir em frente.

Uma mão cheia de grandes resultados no último ano é a prova de que a Escola de Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas está no caminho certo. Quem o diz é Paulo Antunes, treinador e mentor da escola distinguida com o prémio Personalidade do Ano Desporto Feminino.
Pelo Vitória Clube de Santarém, Personalidade do Ano Desporto Masculino, o presidente da direcção, António Pardelhas, considerou o prémio como a cereja no topo do bolo para atletas, treinadores, pais e encarregados de educação, patrocinadores e dirigentes.

Oportunidade para deixar recados

Alguns premiados aproveitaram o facto de a sala estar repleta de autarcas e de empresários para deixar recados nos seus discursos. Manuel Grácio, presidente da Sociedade Artística Tramagalense, agradeceu o prémio Personalidade do Ano Cultura lembrando que não é fácil fazer associativismo e que só a carolice e alguns apoios permitem remar contra a maré.

Jorge Feliciano, presidente do Grémio Dramático Povoense, outro prémio Personalidade do Ano Cultura, aproveitou a ocasião para dizer que estão receptivos a propostas de mecenato, muito importantes para levar os projectos para a frente.

Já Arlindo Consolado Marques, o “Guardião do Tejo”, distinguido como Personalidade do Ano Cidadania, agradeceu a todos os que o acompanharam na luta pelo rio. “Foram três anos de combate em que caí de árvores e esfolei a pele, mas que valeram a pena”, referiu, acrescentando que falta agora lutar por caudais regulares para que os peixes cheguem a Ortiga, a sua terra, no concelho de Mação.

Mais Notícias

    A carregar...