O MIRANTE TV | 18-05-2020

No regresso à creche tenta-se minimizar o receio da máscara

Pais e sapatos da rua não entram. O mais difícil é cumprir o distanciamento social e desmistificar o medo das máscaras. O MIRANTE acompanhou a reabertura de três creches em Alverca do Ribatejo, Santarém e Abrantes.

Após dois meses de encerramento, as brincadeiras, risos e abraços estão de volta às creches que reabriram esta segunda-feira, 18 de Maio. Os pais ficam à porta, é preciso trocar sapatos, medir a temperatura, desinfectar brinquedos e tentar-se minimizar os medos das máscaras nas caras das educadoras e auxiliares.

Mas o mais difícil é cumprir o distanciamento social quando se cuida de crianças de um e dois anos.

Na creche da Fundação Cebi, em Alverca do Ribatejo vieram apenas 20 das 200 crianças inscritas. Aqui as regras são rígidas e além protegerem tentam acabar com os receios dos pais.

O cenário repete-se noutras creches da região. A creche O Meu Pequeno Mundo, em Santarém recebeu apenas oito das 35 crianças. Com o mesmo número, o Centro Social do Pego, em Abrantes conta com cinco.

O grande regresso deverá mesmo acontecer daqui a 15 dias, quando o Estado deixa de apoiar os pais que nesta pandemia ficaram com os filhos em casa. Até lá, nestas creches visitadas por O MIRANTE, tenta-se que o dia-a-dia seja o mais normal possível.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1483
    19-08-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1483
    19-08-2020
    Capa Vale Tejo