O MIRANTE | 21-02-2021

A importância de ter apoio de um profissional na compra ou venda de casa

Galardão Mulher Empresária - Isabel Leão - Era Santarém

Lidera uma equipa de duas dezenas de profissionais na Era Santarém. Quem trabalha com ela sabe que a dedicação e o carácter são fundamentais. Diz que, no sector do imobiliário, a pandemia gerou clientes mais exigentes porque a maioria passou a dar mais importância à casa e a certas particularidades da mesma que antes não eram valorizadas.

Começou a trabalhar no sector imobiliário aos 18 anos. Decidiu arriscar e abrir o seu próprio negócio, com uma sócia. Três anos depois Isabel Leão tomou as rédeas da Era Santarém. Pelo meio tirou o curso de mediação imobiliária, área pela qual continua a ter a mesma paixão e dedicação. E esses são elementos fundamentais para conseguir singrar. “Ter uma empresa não basta. É preciso estar lá e trabalhar com as pessoas certas ao nosso lado. Cada elemento, das duas dezenas que compõem a equipa, é essencial”, sublinha.

Carácter é também a qualidade que não pode faltar a um agente imobiliário. O negócio tem que aliar os interesses da empresa aos interesses dos clientes num equilíbrio constante entre a parte empresarial e a vertente humana. “Para a maioria das pessoas a compra mais cara que fazem na vida é a casa. O objectivo da imobiliária é vender casas, mas dentro das condições financeiras dos clientes e daquilo que precisam”, realça a empresária.

Nos vinte anos que já leva de profissão, a crise imobiliária de 2008 foi o que mais a chocou e que marcou um ponto de viragem na forma de encarar o sector. Depois de anos em que a banca facilitou a aprovação de crédito à habitação, com muitas pessoas a pedir mais dinheiro do que o real valor da casa para, além do imóvel, comprarem carros, móveis e electrodomésticos, a crise veio obrigar muita gente a entregar a casa ao banco, ficando ainda com dívidas. Foi uma altura difícil, da qual Isabel destaca, pela positiva, os casos em que conseguiu ajudar os clientes.

Ao contrário da crise de 2008, a crise criada pela pandemia não afectou o sector imobiliário. Recentemente o Banco de Portugal divulgou números que revelam um aumento dos empréstimos à habitação durante o ano de 2020. Isabel Leão, diz que é uma reacção normal do mercado. A partir do momento em que foram obrigadas a ficar em casa as pessoas começaram a dar mais valor à sua habitação, um bem essencial e de primeira necessidade.

“Podemos deixar de comprar roupa ou outras coisas, mas temos que morar em algum lado. E os clientes aperceberam-se de outro tipo de necessidades como uma varanda, um quintal, ou um terraço, por exemplo. É para satisfazer essas necessidades que trabalha o agente imobiliário, embora muitas vezes o particular ainda entenda como um custo e não como um benefício, colocar a casa à venda numa imobiliária”.

Isabel Leão defende a importância de ter um profissional a ajudar na transacção. Entre os serviços da imobiliária destaca a selecção dos interessados, o auxílio no financiamento, na documentação e no pós-venda, como por exemplo o pagamento de mais-valias, ou como agir a nível fiscal.

A atribuição do Galardão de O MIRANTE apanhou Isabel Leão de surpresa, mas não esconde a felicidade e a satisfação de ver o seu mérito reconhecido. Para a Mulher Empresária do Ano, a dificuldade de um empresário, homem ou mulher, é conseguir gerir um negócio e perpetuá-lo no tempo, mantendo os colaboradores realizados, felizes e produtivos.

A Moneris patrocina o prémio Mulher Empresária

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1536
    01-09-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1536
    01-09-2021
    Capa Vale Tejo