O MIRANTE TV | 21-02-2021

Luís Vilela tem feito crescer a DentINovas mesmo em momentos de crise

Galardão Jovem Empresário - Luís Vilela - DentINovas

A juventude de alguns dentistas é olhada, por vezes, com alguma desconfiança, mas essa “desvantagem” dá lugar a um sentimento positivo quando os pacientes percebem que o médico, exactamente por ser jovem, tem novos métodos e abordagens.

Natural de Bragança, Luís Vilela completou o percurso académico entre a sua terra natal e o Porto. A oportunidade de trabalhar na Sertã e em Torres Novas, surgiu enquanto tirava uma pós-graduação em medicina dentária. Gostou da região, onde diz ter sido muito bem recebido, e acabou por ficar. Mora no Entroncamento e abriu uma clínica dentária em Torres Novas – a DentINovas - já lá vão seis anos.

Apesar de considerar que Portugal não é o melhor país para um jovem se lançar a nível empresarial, Luís Vilela arriscou, superou as contrariedades e tem vido a crescer de forma consistente, com cada ano a correr melhor que o anterior. Mesmo com a pandemia.

O interesse pela medicina dentária surgiu ainda em criança, depois de meses de consultas para se submeter a um tratamento de ortodontia, durante o qual foi muito bem atendido. O primeiro impacto com o dentista acaba por definir a forma como o paciente vai encarar o dentista para o resto da vida, defende o médico.

A medicina dentária evoluiu e é necessário incutir confiança nos pacientes. A sua idade e aparência bastante jovem é por vezes um aspecto que os pacientes notam de forma negativa, num primeiro contacto, confessa o médico, assegurando no entanto que essa “desvantagem” se transforma num sentimento positivo quando os pacientes percebem que, exactamente por ser jovem, tem novos métodos e abordagens.

Defende que cabe aos médicos mais jovens acabar com os receios que ainda existam de ir ao dentista. Sabe que é um processo lento, mas que vai ser bem sucedido. Normalmente são pessoas com alguma idade e com experiências anteriores negativas as que ainda receiam ir ao dentista. São também essas que protelam a consulta até ao limite, chegando ao consultório quando já não suportam mais a dor. Mas também isso está a mudar, garante Luís Vilela, realçando que cada vez mais há a noção de que a medicina dentária é um processo que nos acompanha toda a vida. Começa nos dentes de leite, continua na transição para os dentes definitivos e na manutenção de dentes adultos e mais tarde na reabilitação com próteses.

Com uma equipa de três médicos, a DentINovas realiza todos os serviços de medicina dentária como restaurações, desvitalizações, tratamento gengival, cirurgias, implantologia, próteses, entre outros. E pretende, a curto prazo, evoluir para outras especialidades que extravasam a medicina dentária, como a enfermagem, a osteopatia ou a fisioterapia.

Crescer está no ADN da DentINovas e de Luís Vilela que vê na atribuição do galardão de O MIRANTE o reconhecimento pelo trabalho que tem desenvolvido, sobretudo nesta altura de crise pandémica em que constantemente tem que se reinventar e reerguer. “Comecei do zero e ainda cá estou, termo-nos aguentado é por si só uma vitória, termos evoluído é digno de louvor”, confessa o empresário.

A Rodoviária do Tejo patrocina o prémio Jovem Empresário

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1496
    10-02-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1496
    10-02-2021
    Capa Vale Tejo