Política | 03-05-2019 10:00

Câmara de Benavente aprova contas de 2018 com resultados estáveis

Maioria CDU aprovou documento, enquanto a oposição absteve-se criticando a falta de obras.

A Câmara de Benavente aprovou o seu relatório de gestão de contas referentes a 2018, com um saldo positivo de 3,1 milhões de euros a transitar para a gerência seguinte. O documento foi aprovado com os votos a favor da maioria da CDU e as abstenções do PS e PSD.

O documento confirma resultados positivos como o da taxa de execução orçamental da receita que atingiu 92,5% (19 milhões de euros) e a da despesa a fixar-se nos 78,4% (16 milhões de euros). As Grandes Opções no Plano registam uma taxa de realização de 67,5% (8,3 milhões de euros). O presidente do município, Carlos Coutinho (CDU), diz que para a Câmara de Benavente, 2019 é um ano de equilíbrio e concretização que reflecte uma gestão equilibrada que vai permitir fazer face aos desafios que se colocam nos próximos dois anos.

Carlos Coutinho assinalou ainda que o município tem feito um esforço para reduzir os impostos, e que é sua intenção continuar a diminuí-los, sublinhado que em 2018 arrecadaram menos 846 mil euros de impostos face ao ano anterior.

No período de discussão do documento, o vereador do PSD, Ricardo Oliveira, alertou para o adiamento de projectos ano após ano, considerando que este saldo positivo podia ser devolvido aos cidadãos em obras, que estão anunciadas e inscritas no orçamento, entre outras, a requalificação dos centros históricos de Benavente e Samora Correia.

Perante a situação financeira equilibrada do município, que elogiou, Ricardo Oliveira reforçou que os últimos dois mandatos são de “pura inactividade”, no que toca aos investimentos necessários para o município e que a população anseia.

Também o vereador socialista, Pedro Pereira, exige mais obras e mais investimento, lamentando a passividade da gestão CDU, que prefere “acumular poupança em vez de apostar num município mais desenvolvido”.

O presidente da Câmara de Benavente, lamentou que este seja o entendimento da oposição PS e PSD, que não reconhece a subida de 2 milhões de investimento relativamente a anos anteriores. Como prova desse investimento, Carlos Coutinho destacou a reabilitação do Centro de Dia de Santo Estêvão, aquisição de terrenos do Vale da Asseiceira e junto ao rio Sorraia, remodelação da iluminação pública, requalificação da urbanização Ribasor e posto médico de Foros de Almada.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1423
    03-10-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1423
    03-10-2019
    Capa Médio Tejo