Política | 10-07-2019 07:00

Escolha do cabeça de lista por Santarém gera divisões no Bloco

Escolha do cabeça de lista por Santarém gera divisões no Bloco
foto DR

O actual deputado do Bloco de Esquerda, Carlos Matias, tinha sido indicado pela estrutura distrital para liderar novamente a lista por Santarém, mas a direcção nacional do partido optou por Fabíola Cardoso.

O deputado do Bloco de Esquerda (BE) e membro da comissão política distrital de Santarém do partido, Carlos Matias, disse à Lusa que a "imposição" da direcção nacional em apresentar o nome de Fabíola Cardoso como cabeça de lista por Santarém às próximas legislativas, à revelia da decisão da distrital do BE que tinha indicado o nome de Carlos Matias, "enfraquece e divide" o partido.

A Mesa Nacional do BE aprovou no sábado, 6 de Julho, o nome de Fabíola Cardoso como cabeça de lista por Santarém, depois de, no dia 29 de Junho, em plenário distrital, Carlos Matias, do Entroncamento, ter sido aprovado por larga maioria e indicado para cabeça de lista, obtendo 81 votos. Fabíola Cardoso, uma professora residente em Santarém, tinha recolhido 37 votos.

A direcção nacional, contudo, apresentou, além do nome de Carlos Matias, o nome da candidata na Mesa Nacional, tendo Fabíola Cardoso vencido com 49 votos contra 14 (e três abstenções) e sido, assim, designada como cabeça de lista do BE pelo distrito nas legislativas de 6 de Outubro.

"Pela primeira vez na história do BE, e à luz dos actuais estatutos, a direcção nacional do partido impõe um nome e uma lista alternativa, ou seja, impôs a sua vontade contra a da região, situação que enfraquece o BE e divide o partido no distrito de Santarém, num claro desrespeito pela região e por quem votou", disse Carlos Matias, em reação à decisão da Mesa Nacional.

No mesmo dia 29 de Junho, o Bloco de Esquerda (BE) de Santarém havia aprovado uma moção em que condenou a "intromissão" dos órgãos nacionais em decisões locais e em "matérias que são da sua exclusiva competência", tendo-se manifestado contra a "ingerência" na selecção de candidatos às legislativas.

Contactada sobre esta matéria, fonte oficial do partido sustentou que, "de acordo com os estatutos do Bloco de Esquerda, a decisão sobre os primeiros candidatos às eleições legislativas cabe à Mesa Nacional".

Mas Carlos Matias tem outra visão dos factos: "A direção não só não cumpriu como atropelou os estatutos numa decisão politicamente errada", vincou, tendo afirmado que a decisão de não aceitar o seu nome como o indicado pelas bases "não terá sido por boas razões", sem concretizar.

Na reunião da Mesa Nacional do BE, que decorreu em Lisboa, apenas a lista pelo círculo de Santarém foi votada em alternativa.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1412
    18-07-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1412
    18-07-2019
    Capa Médio Tejo