Sociedade | 15-04-2018 10:08

Bombeiros de Constância retomam serviço de transporte de doentes

Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) transferiu uma verba de 108 mil euros para aquela corporação.

Os Bombeiros Voluntários de Constância retomaram o serviço normal de transporte de doentes depois de terem reunido com a administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), que transferiu uma verba de 108 mil euros para aquela corporação.

Adelino Gomes, comandante dos Bombeiros Voluntários de Constância, tinha afirmado esta manhã que a corporação estava com dívidas a fornecedores e com viaturas paradas por falta de dinheiro para combustível, tendo reclamado uma dívida de 700 mil euros ao CHMT, que agrega as unidades hospitalares de Abrantes, Tomar e Torres Novas.

"A partir desta data, somos obrigados a declinar qualquer responsabilidade por falhas e bloqueios que possam ocorrer no transporte de doentes, no âmbito do CHMT. Apenas os casos urgentes poderão ser atendidos", disse Adelino Gomes, que reuniu ainda hoje com os responsáveis do Centro Hospitalar, tendo o processo sido desbloqueado.

Em comunicado, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Constância disse que, após a reunião de hoje, entre responsáveis dos Bombeiros e CHMT para evitar a paragem no transporte de doentes naquele centro, "parte dos constrangimentos financeiros foram ultrapassados", dando conta de ter sido "acordado uma reunião com carácter de urgência, para resolução de vários assuntos administrativos e financeiros referentes a interpretações de operacionalidade do contrato entre ambas as partes".

Até lá, acrescenta, "sendo os Bombeiros homens de bem e cientes da necessidade do transporte dos doentes, entendem estar por agora, e até à realização da reunião proposta, reunidas as condições para prosseguir com os transportes, sempre na defesa dos doentes e do seu bem-estar".

Também em comunicado, o Conselho de Administração (CA) do CHMT "refuta veementemente as afirmações da Associação Humanitária dos Bombeiros de Constância" e refere que as mesmas configuram "uma inqualificável forma de pressão, até porque estava agendada para hoje, dia 13 de Abril, uma reunião entre as duas entidades", tendo negado ainda "qualquer dívida" às Associações Humanitárias, pois não tem qualquer contrato estabelecido com as referidas Associações.

"O Centro Hospitalar do Médio Tejo, E.P.E. tem um contrato de prestação de serviços de transporte com a Associação Humanitária dos Bombeiros de Constância, ao abrigo de um Concurso Público e que tem sido cumprido por parte do CHMT. Registamos ainda que no último trimestre de 2017 foram pagos 427.167,94 euros e no primeiro trimestre de 2018 foram pagos 285.603,35 euros, num total de 712.771,29 euros, transferidos à Associação Humanitária dos Bombeiros de Constância", pode ler-se.

O CA do CHMT refere ainda que "tem efectuado os pagamentos devidos à Associação Humanitária dos Bombeiros de Constância regularmente, pelo que não existem pagamentos em dívida para além de um período de 60 a 90 dias".

No mesmo comunicado, o CHMT dá conta de que, "até ao final do mês de Março, e depois de antecipar o pagamento relativo ao mês de Janeiro para o dia 22 de Dezembro, no valor de cerca de 150 mil euros, o CHMT transferiu para a Associação Humanitária dos Bombeiros de Constância uma verba mensal que ronda os 100 mil euros".

O CA do CHMT conclui dando conta que "ainda esta manhã, dia 13 de Abril, foi transferido o valor de 108 mil euros decorrente da calendarização de pagamentos em curso".

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo