Sociedade | 05-11-2018 12:24

Médio Tejo quer tornar futura Estação Náutica referência na região Centro do país

O objectivo é constituir uma rede de oferta turística náutica de qualidade.

A Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) quer que a Estação Náutica que está a ser projectada para a albufeira de Castelo do Bode se constitua como o “centro das actividades náuticas do Centro de Portugal”.

Em comunicado, a CIMT (que junta concelhos dos distritos de Santarém e de Castelo Branco) afirma que deu início esta semana ao “arranque do trabalho conjunto visando posicionar a Estação Náutica de Castelo do Bode (ENCB) como o centro das actividades náuticas no Centro de Portugal”, num processo de cooperação, envolvendo 70 parceiros, que “irá potenciar a dinamização de actividades económicas ligadas à albufeira”.

Na quarta-feira, 31 de Outubro, em Ferreira do Zêzere, os 70 parceiros assinaram um protocolo de colaboração, tendo-se realizado igualmente a primeira reunião do Conselho Náutico, adianta a nota da CIMT.

A ENCB surge “no âmbito do processo em curso a nível nacional que visa o desenvolvimento, promoção e certificação de Estações Náuticas em Portugal, o qual está a ser implementado pelo Fórum Oceano, membro e representante de Portugal junto da FEDETON (entidade gestora da rede internacional das estações náuticas) e resulta da apresentação de uma candidatura pela Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, em Junho de 2018”, acrescenta.

A candidatura surge do consenso dos cinco concelhos do Médio Tejo que se localizam na envolvente da albufeira de Castelo do Bode - Abrantes, Ferreira do Zêzere, Tomar, Sertã e Vila de Rei (estes dois do distrito de Castelo Branco) -, com a parceria dos três Grupos de Acção Local desta região (ADIRN, PINHAL MAIOR e TAGUS) e enquadra-se no Plano de Acção para os Produtos Turísticos Integrados do Médio Tejo, no Eixo/Produto Castelo Bode | Wakeboard.

“Atendendo à importância desta albufeira, enquanto recurso hídrico estratégico no país, pretende-se que a futura Estação Náutica possa contribuir para o desenvolvimento económico da região salvaguardando a sustentabilidade ambiental deste recurso”, afirma a CIMT.

O objectivo é constituir “uma rede de oferta turística náutica de qualidade”, aproveitando os recursos do território e disponibilizando oferta de alojamento, restauração e actividades que atraiam turistas e outros utilizadores, “acrescentando valor e criando experiências diversificadas e integradas”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo