Sociedade | 09-02-2019 15:00

Presidente da Casa do Povo da Chamusca acusada de enganar o tribunal

Ministério Público diz que dirigente deu informações falsas para tirar dinheiro das contas apreendidas.

A presidente da Casa do Povo da Chamusca engendrou um esquema para enganar o tribunal e furar a ordem judicial de apreensão das contas da instituição, segundo descreve o Ministério Público. A situação foi comunicada ao processo em que Maria Leonor Feiteiro e a sua secretária na direcção, Maria Teresa Brás, são acusadas de terem lesado a casa do povo em 169 mil euros. As contas tinham ficado sob a alçada do tribunal precisamente para evitar que mais dinheiro desaparecesse, mas mesmo assim a dirigente conseguiu desviar mais quase sete mil euros.

Notícia completa na edição de O MIRANTE já nas bancas

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1417
    21-08-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1417
    21-08-2019
    Capa Médio Tejo