Sociedade | 14-03-2019 12:30

Atraso na construção do Centro Comunitário de Apoio Familiar pode dar multa

Obra adjudicada pela Câmara de Tomar devia ter ficado concluída em Janeiro e autarquia pondera sancionar empreiteiro.

O vice-presidente da Câmara de Tomar, Hugo Cristóvão (PS), garante não existirem atrasos no pagamento da obra do Centro Comunitário de Apoio Familiar que deveria estar concluída em Janeiro deste ano. “Quando percebemos que a obra estava atrasada pressionámos o empreiteiro, que alegou um erro no projecto entre a colocação de coberturas e paredes. Os serviços da câmara ripostaram e disseram que não havia nenhum erro no projecto. Reunimos com o empreiteiro, as divergências foram ultrapassadas e a obra foi retomada”, explicou Hugo Cristóvão.

O autarca respondia ao vereador José Delgado (PSD) que não entende porque é que a empreitada não avança com celeridade. “Um prazo de cerca de nove meses para uma obra de engenharia pequena é muito tempo. À câmara compete zelar pelos interesses de Tomar. Esta demora na conclusão da obra vai torná-la mais cara”, criticou.

Hugo Cristóvão justificou que estão a analisar o processo para decidir se aplicam multa ao empreiteiro pelo atraso na obra. “Se esse for o entendimento jurídico aplicaremos a multa à empresa”, referiu, acrescentando que a prioridade da autarquia é que a obra esteja concluída o mais rápido possível.

Notícia completa na edição de O MIRANTE já nas bancas

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1341
    19-09-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1341
    19-09-2019
    Capa Médio Tejo