Sociedade | 12-08-2019 12:30

Formandos do Cenfim sentem-se valorizados pelas empresas onde fazem estágios

Formandos do Cenfim sentem-se valorizados pelas empresas onde fazem estágios
CURSOS

Núcleo de Santarém entregou diplomas a quarenta e cinco finalistas.

Alguns dos quarenta e cinco formandos que terminaram os seus cursos no núcleo de Santarém do Centro de Formação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica - CENFIM, não compareceram na entrega de diplomas realizada a 31 de Julho, por já estarem a trabalhar e não quererem faltar ao emprego.

A procura de finalistas do CENFIM por empresas da região é muito elevada e se há formandos que ainda não estão empregados é por opção própria. Um deles é Pedro Paulos, um jovem de 17 anos, que acabou o Curso de Educação e Formação (Cef) de Electromecânica e Manutenção Industrial com a nota de 17 valores e que concluiu um estágio na RTR - Tornearia e Frezagem, em Vila Chã de Ourique, com 20 valores.

“Fui convidado para ficar na empresa e só não fiquei porque pretendo terminar o 12º ano. Optei por tirar o curso de manutenção Industrial de nível 4 (assim fico com o 12º ano). Vou continuar a estudar para melhorar a minha formação académica e profissional. Foi muito importante o meu estágio porque fui tratado como um trabalhador a 100% e revejo-me a trabalhar neste ramo. É gratificante. Durante o tempo que estive na empresa apliquei o que aprendi na formação. Vejo que as empresas necessitam do que estamos a aprender a fazer no CENFIM. Se assim não fosse não me tinham convidado para ficar”.

A experiência de Pedro Paulos ajudou-o a perceber que não faziam sentido muitas coisas que tinha ouvido sobre o ensino profissional. “Algumas pessoas dizem que para o CENFIM só vai quem não é bom. Não concordo. Eu era bom aluno e tinha boas notas mas no CENFIM as aulas são mais úteis para a vida profissional. Ficamos mais bem preparados, não estamos a ‘empinar’ matéria que não irá ser necessária para nada”.

Um outro finalista, Bernardo Fernandes, de 20 anos, que terminou o curso de electromecânica equivalente ao 12º ano, refere uma maior disponibilidade dos professores para acompanharem os alunos.

“Estamos mais à vontade para falar com os professores e eles têm tempo para nos ouvir. A qualidade da formação que recebemos faz com que as empresas procurem os profissionais com formação feita aqui. Penso voltar ao CENFIM para fazer a formação pré-universitária ou uma formação na área da soldadura”, conta.

Diz também que não teve dificuldade em encontrar uma empresa para fazer estágio. “Tive que escolher entre quatro empresas. Todas procuravam estagiários com a minha formação. Vir para o CENFIM significa deixarmos de ser tratados como crianças e sermos tratados como profissionais”.

Bernardo Fernandes teve cinco períodos de estágio na Bonduelle, em Santarém, ao longo dos três anos do curso e é lá que está a trabalhar. “Fui convidado a ficar ao fim do primeiro mês do primeiro estágio. Decidi completar a formação e agora estou a trabalhar na empresa. Fui muito bem acolhido e a parte eléctrica é muito parecida com o que aprendemos aqui”, explica.

Uma das características do CENFIM é ter formandos que não se desligam completamente, voltando para fazer o nível de formação seguinte, uma reciclagem, ou formação numa área diferente.

Durante a cerimónia de entrega dos diplomas, o director do Núcleo CENFIM de Santarém aproveitou para desejar felicidades a todos os formandos e para sublinhar os compromissos que devem ter a nível profissional e que os valoriza junto de todas as empresas. Pontualidade, assiduidade e cumprimento do que é determinado.

O CENFIM é um centro protocolar de âmbito nacional, que promove a formação, orientação e valorização profissional dos Recursos Humanos do Sector Metalúrgico, Metalomecânico e Electromecânico. Tem treze núcleos a nível nacional, entre os quais o de Santarém.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1416
    14-08-2019
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1416
    14-08-2019
    Capa Vale Tejo