Sociedade | 20-07-2021 11:54

Carteiros do centro de distribuição postal de Santarém cancelam greve

Carteiros do centro de distribuição postal de Santarém cancelam greve
Dina Serrenho com os delegados sindicais Vítor Fidalgo e João Fernando junto aos CTT de Santarém.

Sindicato desconvocou luta após administração dos CTT ter contratado mais pessoal.

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT) cancelou a greve dos carteiros que estava marcada para vigorar entre 19 de Julho e 31 de Agosto no centro de distribuição postal de Santarém, que serve também os concelhos de Almeirim e Alpiarça.

A sindicalista Dina Serrenho disse a O MIRANTE que a greve parcial diária dos carteiros foi desconvocada a partir de dia 20 de Julho depois dos CTT terem garantido que iriam reforçar a equipa de carteiros com mais cinco elementos. “Continuamos à espera de mais três, vamos estar atentos e ver como vai correr”, diz a dirigente sindical, garantindo que não hesitarão em regressar à luta caso a falta de pessoal volte a colocar em causa a qualidade do serviço prestado.

A falta de carteiros tem sido uma das preocupações manifestadas pelo sindicato, não só na zona de Santarém como também em Abrantes e Rio Maior, onde já houve reforço das equipas.

Os cinco carteiros agora contratados a uma empresa de trabalho temporário vão ajudar a suprir a falta de pessoal também resultante das férias e possibilitar o regresso à normalidade na entrega de correspondência. Neste momento, segundo a sindicalista, o centro de distribuição postal de Santarém está com uma semana de atraso na entrega de correspondência.

Dina Serrenho, que se fez acompanhar pelos delegados sindicais Vítor Fidalgo e João Fernando, disse estar satisfeita por não ser necessário continuar a greve e acrescentou nada ter contra a contratação de trabalhadores a empresas de trabalho temporário, desde que eles se mantenham enquanto forem necessários.

O centro de distribuição postal de Santarém conta actualmente com 41 carteiros para três concelhos, mas há três ausentes por doença e sete de férias. Há meia dúzia de anos eram cerca de setenta, dizem os sindicalistas. As características da correspondência também têm vindo a mudar com o tempo, com o volume de cartas a diminuir acentuadamente, verificando-se em contraponto o crescimento de entrega de encomendas resultante do comércio online.

Mais Notícias

    A carregar...