Sociedade | 12-10-2021 21:00

Alberto Mesquita despede-se do mandato honrando promessa a toureiros

Alberto Mesquita despede-se do mandato honrando promessa a toureiros
Victor Mendes é o quarto matador de toiros a ser lembrado nas ruas de Vila Franca de Xira com uma estátua

Autarca inaugurou a quarta e última estátua de um matador de toiros da cidade assumindo que Vila Franca de Xira está contra a “ditadura do gosto” e o “politicamente correcto”, aludindo a quem defende o fim dos espectáculos tauromáquicos.

A poucos dias de terminar uma carreira autárquica de 27 anos, um dos últimos actos públicos de Alberto Mesquita, presidente da Câmara de Vila Franca de Xira, foi honrar o compromisso que fez aos matadores de toiros da cidade com a inauguração da quarta, e última escultura, dedicada ao maestro Victor Mendes.

Depois de imortalizar nas ruas os rostos e expressões taurinas de José Júlio, Mário Coelho e José Falcão, foi a vez de Vila Franca de Xira prestar tributo e homenagem a Victor Mendes, que lidou mais de três mil toiros e arrecadou três centenas de troféus. A inauguração da estátua decorreu no sábado, 2 de Outubro.

Alberto Mesquita confessou tratar-se de um dia de “particular felicidade”, depois de há quatro anos ter anunciado que era intenção do executivo que agora cessa funções honrar a memória dos quatro maestros taurinos mais influentes de Vila Franca de Xira.

“Cumprimos com a palavra dada e agora temos mais quatro pontos de relevante interesse cultural, artístico e turístico na cidade. Vila Franca de Xira assume-se novamente acima do politicamente correcto, das novas modas que vão aparecendo e da ditadura do gosto”, atirou, referindo-se a quem se opõe às festas tauromáquicas.

A peça é da autoria do escultor Paulo Moura, que já tinha criado a escultura de Mário Coelho, e o monumento está colocado na Travessa do Cerrado, junto ao tanque das lavadeiras. João Santos, presidente da Junta de Freguesia de Vila Franca de Xira, elogiou Victor Mendes pelo seu papel na formação na Escola de Toureio José Falcão e afirmou ser um homem comprometido com a cidadania e um dos melhores entre os melhores. “Embora nunca o tenha visto assim tão nervoso como hoje”, brincou.

O toureiro afirmou não estar tão à vontade perante o microfone como perante os toiros e agradeceu a homenagem feita pelos políticos da cidade. “Faltam-me as palavras. Há momentos em que não há adjectivos que possam qualificar isto”, afirmou, para depois classificar o mundo taurino de que é proveniente de ser “condicionante e elitista” para quem tenta singrar. A acompanhar a cerimónia esteve a banda do Ateneu Artístico Vilafranquense, instituição que o toureiro chegou a frequentar quando era jovem.

Dos quatro homenageados neste mandato pelo executivo municipal com estátuas na cidade apenas Victor Mendes está vivo. José Júlio morreu em Janeiro de 2021 vítima de Covid-19, a mesma doença que vitimou, em 2020, o toureiro Mário Coelho. José Falcão perdeu a vida numa corrida, em 1974, na arena de Barcelona.

Mais Notícias

    A carregar...