Arquivo | 22-02-2005 16:45

Santarém quer Polis “reforçado”

O presidente da Câmara Municipal de Santarém disse hoje que quer alterações aos projectos aprovados no âmbito do programa Polis, admitindo a substituição de algumas obras previstas se não for possível conseguir um aumento das verbas, na sequência de uma reunião (segunfa-feira) com o coordenador nacional do Programa Polis, João Pereira Teixeira.De acordo com o Rui Barreiro, a reunião serviu para fazer um ponto de situação do projecto e para "tentar incluir algumas obras" que a autarquia quer fazer avançar utilizando as verbas atribuídas ao município ao abrigo de uma das medidas do Polis.O Polis de Santarém, da ordem dos cinco milhões de euros (3,75 milhões da Administração Central e 1,25 milhões da autarquia), previa intervenções em vários jardins da cidade (Portas do Sol e jardins da República e Sá da Bandeira). Mas, segundo Rui Barreiro, pode vir a financiar outras obras caso a proposta que a autarquia vai agora formalizar venha a ser aceite.O autarca gostaria de ver aumentado o montante destinado a Santarém, mas, se tal não for possível, tendo em conta que a verba tem que ser utilizada até 2006 e que alguns projectos previstos estão mais atrasados, pretende que estes possam ser substituídos por outros.Entre os projectos que Rui Barreiro gostaria de ver incluídos encontram-se a construção de ciclovias, a requalificação do Campo Emílio Infante da Câmara, o arranjo da rotunda do Largo Cândido dos Reis e a envolvente da Igreja de Santa Clara.Santarém, uma das candidatas preteridas do programa que tem por objectivo a requalificação e reabilitação das cidades, acabou por ser contemplada numa das medidas do Polis com uma verba da ordem dos cinco milhões de euros, que mereceu a designação de "polizinho".

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo