Arquivo | 31-05-2006 10:43

Cigarros só em sonhos

“Adorava fumar, mas gosto mais de viver”. Em 16 de Novembro último, o deputado Miguel Relvas cortou relações com os cigarros. Aos 44 anos. Até hoje. Um alegado problema cardíaco que não se veio a confirmar “foi o argumento que faltava”.O também presidente da Assembleia Municipal de Tomar reconhece que foi “muito duro”. Até com cigarros sonhava. Mesmo assim, desdramatiza: “Não é tão fácil como seria desejável nem tão difícil como pensava”Os quilos que ganhou desde que deixou de fumar tenta abatê-los agora com a prática regular de exercício físico. E para não cair na tentação de voltar ao tabaco cortou também nas saídas nocturnas e na bebida, fiéis companheiros do tabagismo.Nos primeiros tempos sem cigarros usou o adesivo substituto da nicotina, a conselho médico. O tempo do maço e meio a dois maços por dia já lá vai. E garante que nunca mais regressa. “Aproveitem para fumar até aos 40 anos”, diz com humor.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Vale Tejo