Arquivo | 31-05-2006 13:15

PCP contesta redução das valências hospitalares

A Direcção da Organização Regional de Santarém (DORSA) do PCP contesta a redução dos serviços públicos no distrito, nomeadamente as valências hospitalares no Médio Tejo e a eliminação de outros equipamentos em concelhos mais pequenos.A mesma estrutura considera que a “perspectiva de reestruturação do Centro Hospitalar do Médio Tejo” “ameaça o funcionamento, a qualidade e o acesso a determinados serviços e valências”.Os comunistas consideram este caso um exemplo que integra um “longo percurso de degradação, encerramento e privatização de serviços públicos” no distrito.Além disso, os comunistas contestam a “diminuição de efectivos do posto da GNR no Couço, do possível encerramento do posto dos CTT no Vale de Santarém ou em Alpiarça”, bem como a “anunciada possibilidade de encerramento dos Serviços de Atendimento Permanente nocturnos em alguns concelhos”.Integrada na “campanha nacional do PCP pela defesa dos serviços públicos”, a estrutura regional do partido considera que “esta política de substituição do público pelo privado levará ao afastamento dos serviços das populações e ao aumento dos gastos em necessidades básicas”.“Neste sentido, a DORSA do PCP está solidária com a luta das populações pela defesa de serviços públicos com qualidade”, conclui o comunicado da estrutura partidária.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo