Arquivo | 08-01-2013 06:38

Cinco detidos em Odivelas por provocarem danos de 500.000 euros para furtar fios de cobre

Cinco homens foram detidos em flagrante na Pontinha, em Odivelas, por suspeita de terem provocado danos de 500.000 euros a uma empresa para furtar cerca de 1.750 euros em fios de cobre, anunciou hoje a PSP.Os homens, com idades entre os 19 e 27 anos, foram detidos no domingo, depois de a polícia ter sido alertada de que estariam a assaltar uma empresa.Quando a polícia chegou ao local, quatro dos suspeitos fugiram e deixaram para trás quatro sacos com fios de cobre, com um peso de 180 quilos, que tinham sido furtados do sistema eléctrico do edifício.Os quatro suspeitos acabaram por ser detidos pouco tempo depois junto ao Bairro de Santo António, na Serra da Luz, Pontinha.No interior das instalações da empresa foi detido o quinto elemento do grupo, que se encontrava escondido junto a um saco que continha 13 quilos de dobradiças de metal, furtadas das portas do edifício. A polícia encontrou ainda outro saco com cerca de 200 quilos de material de cobre.De acordo com fonte da PSP, o grupo de assaltantes provocou danos na ordem dos 500.000 euros para conseguir furtar material avaliado em cerca de 1.750 euros.No sábado, a PSP deteve no Olival Basto, também em Odivelas, dois homens com idades entre os 22 e os 35 anos por suspeitas de furto de ferro a uma empresa.Quando a polícia chegou ao local, os homens já tinham sido imobilizados pelo segurança da empresa. De acordo com a PSP, os suspeitos estacionaram um veículo junto ao edifício da firma, com o triângulo de sinalização junto à mesma (para aparentar que estava avariada) e escalaram um muro de 1,5 metros de altura. De seguida, carregaram a viatura com várias peças em ferro e ferramentas, até serem interceptados pelo segurança.Os sete detidos, todos com antecedentes criminais, vão hoje ser presentes a tribunal para primeiro interrogatório judicial.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo