Arquivo | 31-01-2013 15:30

Relação de Lisboa mantém condenação de "Rei Ghob" a 25 anos de prisão

O Tribunal da Relação de Lisboa rejeitou o recurso de Francisco Leitão, conhecido por "rei Ghob", e manteve a condenação de 25 anos de prisão, determinada pela primeira instância, pela prática de três homicídios.A decisão do recurso de Francisco Leitão, distribuído ao juiz desembargador Rui Rangel, foi comunicada hoje pela secretaria da 9.ª Secção do Tribunal da Relação de Lisboa.A Relação tinha de decidir a diligência de "Rei Ghob", antes de terminar o prazo máximo da prisão preventiva de um ano e seis meses, fixado na lei para os casos em que há condenação transitada em julgado, como é o caso de Francisco Leitão."Rei Ghob" foi julgado no Tribunal Criminal de Torres Vedras por quatro homicídios, mas foi condenado apenas por triplo homicídio, a 29 de Março de 2012, não tendo sido ficado provada a acusação referente ao homicídio de um idoso sem-abrigo.O tribunal deu como provados quase todos os pontos da acusação, mas registou-se um voto vencido do colectivo de juízes, presidido por Rui Teixeira.Além da condenação a 25 anos de prisão, a pena máxima em Portugal, "Rei Ghob" foi condenado a pagar 350 mil euros de indemnização às famílias da vítimas.Com esta decisão do Tribunal da Relação, a defesa de Francisco Leitão pode recorrer para o Supremo Tribunal de Justiça, em matéria de direito e não de facto.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo