Arquivo | 22-10-2013 17:56

Casa da Liberdade dedicada a Mário Cesariny abre a 02 de Novembro, em Lisboa

A Casa da Liberdade, projecto museológico dedicado ao artista plástico e poeta Mário Cesariny (1923-2006), vai ser inaugurada em Lisboa a 02 de Novembro, com uma exposição e o lançamento de uma antologia sobre o surrealismo.O projecto é da responsabilidade do Colectivo Multimédia Perve, associação cultural sem fins lucrativos fundada em 1997, em parceria com a Perve Global, empresa proprietária das duas Galerias Perve, em Lisboa.A Casa da Liberdade - Mário Cesariny, em Alfama, instalada num imóvel recuperado, contíguo à Galeria Perve, foi criada com o objectivo de ser um espaço cultural para colher os espólios dos artistas surrealistas portugueses, apresentar exposições, vídeos e performances.De acordo com a galeria, no espólio encontram-se obras doadas pelos artistas, outras adquiridas pelos galeristas, e documentação que poderá ser consultada pelos investigadores."A Estrada Começa" é o título da exposição inaugural, que vai reunir obras inéditas de quatro figuras maiores do movimento surrealista português: Cruzeiro Seixas, Isabel Meyrelles, Carlos Calvet e do próprio Mário Cesariny.O programa inaugural inclui ainda, entre outras iniciativas, a realização do Congresso "Surrealismo(s) em Portugal", quando se assinalam os 60 anos da morte de António Maria Lisboa, e uma homenagem ao artista que dá o nome à casa, após sete anos da sua morte.Em Junho deste ano, quando o edifício estava em obras de adaptação, o director da Perve Galeria, Carlos Cabral Nunes, artista multimédia e um dos responsáveis pelo projecto, explicou à agência Lusa que a ideia de criar um espaço multidisciplinar, centrado em vários espólios dos surrealistas portugueses, surgiu em 2000."Não sendo um museu, a casa tem características museológicas centradas em vários espólios, com milhares de obras, desde artes plásticas a correspondência e outros textos", de Mário Cesariny e de criadores como Artur Cruzeiro Seixas, Luís Pacheco e Ernesto de Melo e Castro, entre outros."Até agora, não tivemos nenhum apoio para o projecto, que tem sido desenvolvido gradualmente, através da vertente comercial das galerias de arte", apontou na altura Carlos Cabral Nunes.A inauguração está agendada para 02 de Novembro, às 18:00, e será também marcada pelo lançamento de uma antologia poética organizada por Isabel Meyrelles, intitulada "Pós-Pessoa - Antologia do Surrealismo em Portugal e suas derivações".Depois de ter regressado de Paris, onde conheceu o artista André Breton, em 1947, Cesariny participou na criação do Grupo Surrealista de Lisboa, juntamente com outros artistas, escritores e figuras da cultura como António Pedro, José Augusto França, Cândido Costa Pinto, Vespeira, Moniz Pereira e Alexandre O'Neill.O grupo nasceu como protesto libertário contra a ditadura de Oliveira Salazar e por oposição à corrente do neorrealismo.Mais tarde, porém, Cesariny fundou o grupo dissidente "Os Surrealistas", com António Maria Lisboa, Risques Pereira, Artur do Cruzeiro Seixas, Pedro Oom, Fernando José Francisco e Mário-Henrique Leiria.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Vale Tejo