Cultura | 14-06-2018 12:20

Quando dançar é algo tão natural como respirar

Quando dançar é algo tão natural como respirar
IDENTIDADE PROFISSIONAL
Alexandra Rodrigues dá aulas de danças africanas na Sociedade Recreativa da Granja

Alexandra é uma apaixonada pela sua profissão e imprime essa paixão em tudo o que faz. Mais do que ensinar a dançar, o importante é criar laços de amizade e confiança entre os alunos.

Transmitir boa disposição e gerar laços de amizade e de grupo são o segredo para o sucesso das aulas de ritmos africanos de Alexandra Rodrigues, que às terças e quintas-feiras mete várias dezenas de pessoas a dançar na Sociedade Recreativa da Granja, na freguesia de Vialonga. Alexandra é uma apaixonada por desporto que viu nas danças africanas uma forma de escapar do stress do dia-a-dia e ao mesmo tempo praticar algum exercício físico.


Entre os ritmos africanos que ensina estão o funaná, samba ou a mais popular kizomba. “O que tento transmitir é o que acho fundamental, que é a boa disposição e que seja possível criar laços de grupo entre as pessoas. Que as pessoas cheguem, possam descontrair e deixem os problemas à porta. As danças africanas são muito descontraídas. A dança no geral tem esse efeito”, conta a O MIRANTE.

Entrevista completa para ler na edição em papel já nas bancas

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Vale Tejo