Desporto | 31-07-2008 13:43

Rio Maior contesta condição de suplente de Inês Henriques para Pequim

O Clube de Natação de Rio Maior (CNRM) contestou quarta-feira a condição de suplente da marchadora Inês Henriques para os Jogos Olímpicos Pequim2008, alegando que “não estão a ser aplicados os critérios de selecção inicialmente definidos”.“A nossa atleta deveria estar como elemento efectivo nos Jogos Olímpicos de Pequim”, disse em conferência de imprensa o presidente do clube, Guilherme Gaboleiro, acrescentando que já enviou uma contestação à convocatória à Federação Portuguesa de Atletismo (FPA).Em causa está a chamada para a prova de 20 quilómetros marcha dos Jogos Olímpicos de Pequim2008 das marchadoras Susana Feitor, Vera Santos, apontadas como “finalistas” na Listagem de Alta Competição da Direcção Técnica Nacional da FPA, e a “semi-finalista” Ana Cabecinha, em detrimento da também “finalista” Inês Henriques.Na exposição, que foi ainda remetida para a Secretaria de Estado da Juventude e Desporto, Instituto do Desporto de Portugal e Comité Olímpico de Portugal, os dirigentes do clube riomaiorense dizem-se “perplexos e surpreendidos pela não inclusão” de Inês Henriques “em detrimento de outras marchadoras”.O CNRM descreve os resultados recentes da marchadora, sublinhando que “conseguiu a sua qualificação para os Jogos Olímpicos de Pequim 2008, ao obter o 7º lugar nos campeonatos do Mundo de Osaca2007”, justificando a posição com os “critérios definidos” pela FPA.“Os atletas que se classifiquem até ao 16º lugar no campeonato do mundo de Osaca2007, asseguram o lugar de qualificação olímpica em relação a quaisquer atletas que venham a obter mínimos, desde que cumpram nos prazos indicados, os mínimos B da Federação Internacional de Atletismo (IAAF)”, indicavam os critérios da FPA, na sua página oficial na Internet.Daí que o clube conteste a inclusão “após a entrada em funções de um novo seleccionador nacional de atletismo, em finais de 2007,” nos critérios de selecção olímpicos de uma “nota a vermelho”, que “nada obsta à convocação” de Inês Henriques e “não traz nada de novo”.“Estar qualificado não significa estar seleccionado. Para um atleta ser seleccionado terá que demonstrar, em data próxima dos Jogos, um estado de forma consentâneo a uma participação olímpica”, afirma a nota divulgada também no sitio na Internet da FPA.Segundo o CNRM, Inês Henriques confirmou “os mínimos A em quatro provas de 20 quilómetros, que disputou durante o ano de 2008”, “mostrou estar em forma” ao obter o quarto lugar na última etapa do challenge mundial de marcha, na Corunha, Espanha, e conseguindo o segundo lugar nos campeonatos nacionais de Verão numa prova de “10 quilómetros em pista”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo