Desporto | 20-04-2019 15:00

Insultou o árbitro e depois escreveu-lhe a pedir desculpa

Insultou o árbitro e depois escreveu-lhe a pedir desculpa
SAMORA CORREIA

Futebolista de 11 anos do GD Samora Correia assumiu uma atitude invulgar nos dias que correm.

O camisola 64 dos benjamins do Grupo Desportivo de Samora Correia escreveu uma carta que se tornou viral, onde pede desculpa ao árbitro por tê-lo insultado no final do jogo. Aos 11 anos, Tiago Tavares almeja uma carreira futebolística e não quer deixar manchas no seu percurso.

A atitude do jogador demonstra humildade e arrependimento e por ser tão incomum no meio futebolístico tornou-se viral nas redes sociais e foi objecto de notícia em órgãos regionais e nacionais. “Sou o número 64 do GDSC e o meu nome é Tiago Tavares. Escrevo-lhe esta carta para pedir desculpa pela minha atitude”, começa por escrever o jogador na carta que enviou ao árbitro do jogo de 7 de Abril frente ao Clube Amador dos Desportos do Entroncamento. Foi já depois do apito final, a caminho dos balneários, que o jogador insultou o árbitro. Na carta que fez chegar ao juiz daquele jogo diz que “é bom saber reconhecer os erros” e como o árbitro “estava certo”, lamenta o sucedido dizendo estar “seriamente arrependido”.

O árbitro Ricardo Ramos já respondeu ao jovem dizendo que aceita as desculpas. “Saber reconhecer os erros é uma atitude de humildade e de um vencedor”, salienta. O jogador do Samora já se voltou a encontrar com o árbitro e com o seu jeito tímido reforçou as desculpas pessoalmente.

Tiago Tavares está há uma época no GD Samora Correia, onde joga na posição de avançado. Sonha ser jogador de futebol profissional e, por isso, não quer mal-entendidos que possam manchar o seu percurso, explica a O MIRANTE depois de um treino no campo de futebol dos Camarinhais em Benavente.

Um exemplo a seguir
À sua volta, os colegas de equipa interrompem o discurso do jogador para dizer que estão orgulhosos e que se um dia se exaltarem em campo lhe vão copiar o gesto e pedir desculpa.

A ideia de escrever a carta remetida à Associação de Futebol de Santarém surgiu durante uma conversa com a sua mãe, que o castigou depois do jogo, impedindo-o de ir a uma festa de aniversário de um amigo. Tiago garante que a escreveu sozinho e a levou na mochila para entregar na sede do seu clube.

Foi já fora das quatro linhas que o jogador se exaltou por sentir que a sua equipa foi injustiçada com uma falta que ficou por assinalar e pelos sete minutos de descontos, quando o jogo estava 2-2. Aproveitando o tempo de compensação o adversário fez o golo da vitória, para desilusão da equipa samorense.

André Ferreira, director desportivo da equipa de Samora Correia já tinha chamado os jogadores à atenção no treino anterior ao jogo, por revelarem um comportamento menos correcto. “Neste clube tentamos passar valores de união, resiliência, trabalho de equipa, e queremos ser um exemplo positivo na região pela forma como olhamos o desporto”, diz o dirigente desportivo. “A forma que o Tiago encontrou para pedir desculpa foi um gesto sentido e genuíno é isso que importa destacar “, diz.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1403
    16-05-2019
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1403
    16-05-2019
    Capa Vale Tejo