Economia | 19-12-2011 13:23

Futuro da Aquino Construções adiado para o final de Janeiro

Ainda não foi desta que se decidiu o futuro da construtora Aquino S.A. que está em processo de insolvência desde 29 de Julho. Para segunda-feira, 19 de Dezembro, estava marcada a assembleia de credores para a discussão e votação do plano de insolvência, que vai ditar o encerramento ou recuperação da empresa, mas uma irregularidade formal na convocação da sessão obrigou o juiz a adiar uma decisão para o final de Janeiro. A assembleia não se realizou porque a convocatória não foi publicada em Diário da República, uma formalidade que o juiz Jorge Almeida disse só ter tido conhecimento pouco tempo antes de se iniciar a sessão. O juiz pediu desculpas aos presentes pelos incómodos que tiveram por terem que se deslocar ao tribunal, mas realçou que mesmo que este formalismo fosse cumprido era difícil iniciar-se a assembleia neste dia porque também ainda falta outro procedimento. O juiz considerou que o processo de insolvência da construtora é “complicado” e explicou que ainda tem que tomar decisão sobre os créditos sob condição, fixando a sua percentagem de voto e a forma como garantem os votos. Coisa que, sublinhou, não é possível fazer em poucos minutos. Recorde-se que a primeira assembleia de credores foi marcada para 27 de Setembro. Em Outubro, os credores da construtora Aquino Construções S.A. decidiram avançar com a elaboração de um plano de recuperação da empresa. Foi também criada uma comissão de credores, presidida pelo representante da Caixa Geral de Depósitos. Os maiores credores da empresa são instituições bancárias, nomeadamente a Caixa Geral de Depósitos, BCP, Santander, Banco Popular e Barclays Bank. A estes juntam-se várias dezenas de outros credores, assim como a Câmara Municipal de Ourém.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo