Economia | 31-01-2013 13:40

AgroCluster Ribatejo auxilia exportação para o Brasil

O AgroCluster Ribatejo promoveu na semana passada em Torres Novas, um seminário sobre o mercado de internacionalização de produtos agroindustriais para o Brasil. A sessão realizou-se na sequência da assinatura de um protocolo com uma consultora presente no Brasil, a Latitude Perfeita, que garante um conjunto de soluções inovadoras no apoio à exportação para o Brasil.Na sessão, o Brasil foi apresentado aos empresários presentes enquanto parceiro de negócio. Foi revelado que para entrar neste mercado, as empresas portuguesas têm de estar registadas no Ministério da Agricultura brasileiro como empresas exportadoras, e que o Brasil é um país extremamente exigente em termos de imagem, qualidade do produto e estratégia comercial/definição do target. Cada empresa exportadora terá que efectuar o seu registo junto do Ministério da Agricultura brasileiro, obtendo o certificado DIPOA ou DIPOV, consoante diga respeito a produtos de origem animal ou vegetal. Posteriormente, para além da obtenção destes certificados, as empresas exportadoras terão ainda de aprovar os seus rótulos junto do Ministério, caso contrário não lhes será permitido a venda dos seus produtos no mercado brasileiro. Uma vez que este tipo de processos são muito demorados e burocráticos, o AgroCluster Ribatejo assinou com a Latitude Perfeita, um protocolo para que os seus associados consigam minimizar a morosidade destes processos tornando-se, assim, o processo de exportação mais facilitado. “O nosso grande objectivo é promover a inserção de empresas agroindustriais ribatejanas, no enorme mercado brasileiro”, referiu o presidente do AgroCluster, Carlos Lopes de Sousa. Com este protocolo, o AgroCluster Ribatejo e os seus associados passam a usufruir dos serviços desta consultora, nomeadamente no apoio à promoção, divulgação e identificação de oportunidades comerciais no Brasil, bem como a proceder à apresentação das empresas associadas do AgroCluster em certames e eventos, feiras, centrais de compras, retalho, entre outros.Para além disso, os associados do AgroCluster vão poder ser assessorados no que diz respeito ao seu registo enquanto empresas exportadoras, nomeadamente na obtenção do DIPOA ou DIPOV. Para Carlos Lopes de Sousa, este protocolo é uma enorme vantagem para as empresas associadas do cluster, “uma vez que os processos vão decorrer de forma muito mais célere”.Para mais informações o AgroCluster do Ribatejo encontra-se à disposição, através do e-mail geral@agrocluster.com.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo