Economia | 12-12-2013 11:05

Almeirim, Cartaxo e Santarém lutam pela sede da CVR Tejo

A Comissão Vitivinícola Regional do Tejo tem que sair das actuais instalações e contactou os municípios de Almeirim, Cartaxo e Santarém para que estes disponibilizem um espaço para instalar a sede. A CVR Tejo vai avaliar as propostas das três câmaras e decidir-se por aquela que oferecer melhores condições. A comissão ocupa o antigo edifício do Instituto da Vinha e do Vinho em Santarém, que agora foi adquirido por uma entidade pública. Para se instalar num destes concelhos a comissão precisa de algum espaço, uma vez que além dos serviços administrativos e zonas de arrecadação necessita de uma sala para a câmara de provadores, com condições para se fazerem as provas para classificação dos vinhos. O presidente da comissão, José Pinto Gaspar, não adianta para já pormenores limitando-se a dizer que estão a “avaliar uma série de situações”. Santarém tem para já um problema na cedência de instalações. O espaço indicado é o da Casa do Campino mas a autarquia está com dificuldades em recuperar o imóvel para a sua posse plena. A Entidade de Turismo de Lisboa pede ao município 150 mil euros para abdicar do direito de superfície. A CVR trabalha em conjunto com os produtores e empresas do sector na promoção e divulgação dos vinhos da região. É órgão de controlo e fiscalização da actividade vinícola e é quem certifica os vinhos com selo de garantia.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo