Economia | 18-12-2013 12:31

Festa de Natal é exemplo de dinamismo da colectividade de Casal da Charneca

A Festa de Natal que se realiza domingo, 22 de Dezembro, a partir das 15h00, nas instalações da União Desportiva Recreativa e Cultural (UDRC) 1º de Maio, é mais uma prova do renovado dinamismo que atravessa a colectividade de Casal da Charneca, freguesia de Almoster, Santarém. Entre as diversas actividades programadas conta-se um presépio vivo e um Concurso de Árvores de Natal feitas a partir de materiais recicláveis com prémios apelativos para os vencedores.Na Festa de Natal participam as crianças da aldeia e do ATL com performances teatrais e dança. Um grupo de adolescentes também vai ter um momento criativo. Não faltará ainda música com o coro da catequese. A iniciativa é gratuita e apresenta-se como um momento de convívio natalício para miúdos e graúdos. Quem participar pode contribuir com o seu donativo para a associação. Criada em 1976, a UDRC 1º de Maio chegou a vedar nos seus estatutos a entrada a mulheres, sem estarem acompanhadas por homens, nas suas instalações. Hoje os tempos são outros e, apesar de não fazerem parte da direcção, são as mulheres dos dirigentes que tomam as rédeas da organização de eventos. Elodie Silva, Eva Costa, Maria Dinis e Rita Silva voltaram a dar vida ao espaço que actualmente já tem um ATL a funcionar para crianças entre os 6 e os 10 anos. Semanalmente não faltam também actividades como zumba, ginástica para seniores e aulas de dança para os mais pequenos. É nas casas de cada uma que vão delineando as ideias e colocando em prática os projectos. “Nós somos as esposas, não fazemos parte da direcção, damos as ideias e depois executamo-las”, disse Rita Silva a O MIRANTE, enquanto Eva Costa lembra que à terceira vez que falam sobre um assunto é para concretizarem. O presidente, António Jorge, e o vice-presidente, João Dinis, confessam até, em tom de brincadeira, que estão a pensar criar uma comissão de eventos dinamizada pela motivação feminina deste grupo.Actualmente é raro o mês em que não seja dinamizada uma iniciativa alusiva a uma data comemorativa. Os objectivos da actual da direcção passam por “manter a terra viva e ter um espaço de convívio onde as pessoas se possam encontrar”, afirmou a O MIRANTE António Jorge, revelando que neste momento têm cerca de uma centena de sócios com as quotas em dia.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo