Economia | 23-12-2013 12:34

Metade dos desempregados da zona de Vila Franca já não recebe subsídio

Segundo a CGTP no primeiro semestre entraram em insolvência 184 empresas nos concelhos de Vila Franca, Arruda dos Vinhos, Alenquer e Azambuja

Na zona sindical de Vila Franca de Xira, que abrange os concelhos de Vila Franca, Arruda dos Vinhos, Alenquer e Azambuja, metade dos desempregados inscritos nos centros de emprego já não beneficia do subsídio de desemprego. Dos 11315 inscritos nos quatro concelhos, só 5658 pessoas ainda recebem esse apoio do Estado e, desses, 40 por cento estão há mais de um ano a procurar trabalho.Os dados são da delegação da CGTP de Vila Franca de Xira. Só no primeiro semestre do ano, segundo o sindicato, entraram em insolvência na zona 184 empresas, das quais 40 por cento do sector do comércio por grosso e retalho e 30 por cento do sector industrial e produtivo. Segundo a CGTP, em cada 10 trabalhadores da zona três têm um contrato de trabalho precário ou temporário e os trabalhadores destes quatro concelhos recebem entre 17 e 29 por cento abaixo da média salarial do distrito de Lisboa. Na prática isto quer dizer que ganham menos 200 a 330 euros dos que trabalham em Lisboa. O valor médio mensal das pensões em Arruda dos Vinhos, Alenquer e Azambuja não chega aos 350 euros, à excepção de Vila Franca, onde a média das pensões é de 426 euros mensais. Segundo os últimos números conhecidos, referentes a Outubro, Vila Franca continua a ser o concelho a norte de Lisboa com mais desempregados (7 310). No distrito de Santarém lidera a capital de distrito, com 3135, seguindo-se Abrantes com 2661, Ourém com 1 976, Tomar com 1948 e Benavente com 1 918. Acima do milhar de desempregados registados estão ainda os concelhos de Almeirim (1256), Cartaxo (1289) Coruche (1095), Rio Maior (1025) Salvaterra de Magos (1 451) e Torres Novas (1737).

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo