Empresa da Semana | 14-05-2009 10:42

Hospital Veterinário do Ribatejo é caso único na região

O Hospital Veterinário do Ribatejo localizado à entrada do Cartaxo, junto à Estrada Nacional 3, é o único do género no distrito de Santarém. Ao fim de cinco anos de funcionamento, o director clínico faz um balanço positivo do trabalho realizado e afirma que o mesmo tem tido grande procura. “Tem havido uma grande aceitação por parte dos donos dos nossos “doentes”. As pessoas valorizam muito os meios de que dispomos e também o facto de funcionarmos 24 horas por dia”, explica Luís Monteiro.Com uma equipa de seis profissionais que asseguram os turnos, o Hospital Veterinário do Ribatejo realiza as consultas normais e os programas de vacinação, para além de radiografias, ecografias, endoscopias e cirurgia de tecidos moles, ortopédica e oftalmológica. Para além dos utentes do Cartaxo, a unidade funciona como referencia para animais dos concelhos limítrofes como Santarém, Almeirim, Rio Maior, Salvaterra de Magos, Azambuja e outros. Cães e gatos continuam a ser os animais mais examinados no Hospital mas aparecem cada vez mais animais exóticos como iguanas, tartarugas e coelhos. As situações clínicas de urgência mais comuns são os politraumatizados por atropelamento, os envenenamentos e as lacerações por brigas entre animais. A Leishmaniose e a Dirofilariose são doenças muito comuns nesta região que apresenta condições climatéricas muito propícias ao ciclo de vida do mosquito que as transmite.A prevenção também leva muitos animais ao Hospital. Há muitas doenças que podem ser prevenidas por correctos programas de vacinação e desparasitação. A época de Verão é caracterizada pela eclosão maciça de ovos de pulgas e carraças e os animais que vivem nesta zona de campo são facilmente infestados. O risco acrescido das zoonoses ( doenças transmissíveis ao homem ), como a Ehrlichiose, a Giardiase ou o Quisto Hidático, justifica a necessidade de cuidados redobrados por parte dos donos, explica o veterinário. O aumento de pacientes deve-se ao facto dos animais serem mais bem tratados do que antigamente. Também por isso a sua esperança média de vida tem aumentado. Segundo Luís Monteiro, por vezes há pessoas que se desleixam um pouco com o controle da sua saúde mas não falham nos cuidados aos seus animais. Talvez por isso hoje aparecem muitos mais casos do foro oncológico e doenças relacionadas com a obesidade, entre elas a diabetes e as patologias cardiovasculares. “Há pessoas que me confessam que já não vão ao médico há anos mas que trazem o seu animal de estimação ao veterinário com frequência”, explica.Por testemunhar casos destes, o director clínico do Hospital Veterinário do Ribatejo confia que os casos de abandono dos animais vão sendo cada vez menores. “Acredito que a quantidade de abandonos vá diminuindo, nota-se, com o passar dos anos um maior civismo e consciência por parte dos proprietários”. A explicação para o sucesso deste projecto está, segundo Luís Monteiro, numa dedicação exclusiva permanente, na aposta clara na formação contínua de toda a equipa de veterinários e auxiliares. Regularmente e várias vezes por ano, especialistas europeus em varias áreas da medicina veterinária são convidados pelo Hospital para aqui ministrarem cursos práticos. Finalmente, e como toda a gestão do Hospital é feita exclusivamente por médicos veterinários, os preços dos serviços acabam por ser equiparados aqueles praticados na região.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo