Empresa da Semana | 05-08-2015 16:02

Peças novas e usadas na “José, Eduardo e Miguel” situada na zona industrial de Muge

Peças novas e usadas na “José, Eduardo e Miguel” situada na zona industrial de Muge
A empresa “José, Eduardo e Miguel”, localizada na Zona Industrial de Muge, concelho de Salvaterra de Magos, dedica-se à venda de peças novas e usadas para tractores e máquinas industriais. Foi criada há 22 anos por David Brardo que entretanto passou o negócio para as mãos do filho mais novo, Miguel Brardo, de 24 anos, tendo o mesmo assumido a gerência. Os nomes José e Eduardo que surgem na designação da empresa são os dos outros dois filhos do fundador. Miguel Brardo sempre acompanhou a empresa e daí ter assumido com naturalidade dar continuidade ao negócio. Há dois anos decidiu mudar as instalações para a Zona Industrial de Muge e garante que foi uma boa decisão. “Foi nessa altura que começámos também a vender peças novas e isso ajudou-nos a crescer”, explica. O empresário faz um balanço positivo da actividade da empresa que tem clientes em todo o país. O próximo passo é a criação de uma página na internet para melhorar ainda mais a ligação aos clientes. “Um dos nossos segredos foi a fidelização de clientes. Fez-se um bom trabalho a esse nível logo após a criação da empresa, numa altura em que não havia tanta concorrência e isso faz a diferença. Hoje tratamos tudo por telefone ou e-mail e enviamos as encomendas por correio. Com uma página na internet poderemos reforçar essa ligação”, diz. A maioria dos clientes da “José, Eduardo e Miguel” são agricultores ou oficinas, num mercado que é limitado. A empresa tenta comercializar os seus produtos com a melhor relação qualidade/preço possível, para conquistar mais clientes e manter os que já tem em carteira. “Como se compreende os agricultores estão sempre a precisar de peças e nós temos o que eles precisam. Só vendemos peças em segunda mão em muito bom estado e eles confiam em nós”, realça.A empresa tem uma zona de armazém que ainda está em fase de acabamento e que vai servir para colocar os seus stocks. “Temos que perceber o que o mercado vai gastar para saber que peças devemos adquirir. É necessária muita atenção e trabalhar antecipando as necessidades dos clientes. Tentamos estar sempre a par das últimas novidades na nossa área de negócio, de forma a sabermos quais são os melhores produtos e os mais inovadores. O sucesso assenta num trabalho contínuo e feito da melhor forma”, conclui.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo