Política | 14-03-2006 16:45

CDU Santarém traça balanço negativo de cem dias de mandato

No balanço dos cem dias de mandato autárquico, a vereadora da CDU na Câmara de Santarém acusou a maioria PSD de se preocupar mais em colocar na autarquia “um conjunto de boys e girls” do que “optar por medidas de poupança e de contenção de despesas.“Já pedimos a lista dos contemplados e os vencimentos. Aguardamos tranquilamente a informação”, afirmou Luísa Mesquita na conferência de imprensa realizada na tarde de ontem na sede do PCP em Santarém.A vereadora diz que, ao fim de cem dias de gestão de Moita Flores, “tudo o que estava por fazer continua por resolver”, dando como exemplo o impasse em projectos como a requalificação urbana da Ribeira de Santarém e do Campo Infante da Câmara. Mais: “Não encontramos nada que se possa dizer que tenha sido feito nas escolas, nas estradas, em busca de novos investimentos”.Foi essa a explicação para que o balanço da vereadora incidisse principalmente sobre a dissecação do longo processo que levou à aprovação pelo executivo, em 9 de Março, de algumas soluções para aliviar a tesouraria municipal. E Luísa Mesquita reclamou para a CDU alguns louros não só pelas opções encontradas (ver texto nesta edição) como pelo abandono da operação financeira de leaseback por parte da maioria.Foi ainda deixado o recado à maioria para ter critério na selecção dos investimentos a efectuar, tendo Luísa Mesquita advertido que “se não há dinheiro para grandes festivais é bom que haja para o saneamento básico”.A autarca comunista afirmou que vai esperar pela proposta de orçamento para analisar qual o sentido de voto a tomar, acrescentando que a CDU “não está lá para impedir a força minoritária de governar” embora tenha como principal objectivo “defender os interesses do concelho”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo