Política | 22-07-2008 09:02

Oposição critica nova localização da Feira de Santa Iria

O vereador socialista Carlos Silva manifestou, na última reunião de câmara, o seu desacordo em relação à nova localização da feira de Santa Iria de Tomar. Na dita reunião, foi discutida e votada uma proposta do vereador Ivo Santos, responsável pelo pelouro de mercados e feiras, que tinha o objectivo de dar a conhecer a mudança de local da Feira de Santa Iria da zona do Flecheiro para um terreno privado em Marmelais de Cima. A justificação assenta nas obras de construção da ponte rodoviária do Flecheiro e também nas obras de construção do emissário das àguas pluviais da zona da Levada e na requalificação da rotunda Alves Redol. Segundo a informação distribuída, as obras decorrem no período antecedente à montagem das infra-estruturas dos dois eventos e prolongam-se por um prazo de seis meses, o que impede a viabilidade da tradicional feira se realizar no seu local habitual.Para Carlos Silva, a Feira de Santa Iria é hoje “uma feira igual a muitas outras”, por não se ter sabido modernizá-la e ao mesmo tempo manter as suas raízes tradicionais. Por isso, o vereador socialista defende a necessidade urgente da construção de um parque de feiras ou a alternativa de se transferir o evento para a “moderna e conveniente” Várzea Grande, “um espaço nobre e de possibilidades diversas, cada vez mais reduzido a simples parque de estacionamento”. O vereador socialista critica ainda o facto do anúncio da mudança de local ter sido feito em conferência de imprensa cerca de quinze dias antes da sua discussão e aprovação em reunião de câmara.Já os vereadores do grupo Independentes por Tomar (IpT) colocaram em cima da mesa a questão da montagem das infra-estruturas, questionando se as mesma são feitas de acordo com o plano de pormenor previsto para Marmelais ou, por outro lado, são efectuadas provisoriamente. Sobre este ponto, o presidente da autarquia, Corvelo de Sousa (PSD), esclareceu a vereação referindo que todas as infra-estuturas são feitas de forma provisória e são as mesmas que se colocariam caso o evento fosse dinamizado na Várzea Grande, como casas-de-banho amovíveis, electricidade e pontos de abastecimento de àgua.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo