Política | 07-03-2012 08:15

Oposição chumba corte de tranferência de verbas para as freguesias

Os vereadores do Partido Socialista e do grupo “Independentes por Tomar” votaram, na reunião de 5 de Março, contra a proposta apresentada pelo presidente da Câmara, Carlos Carrão (PSD) relativamente à transferência de verbas para as freguesias, acabando por chumbar a mesma. O presidente da autarquia começou por explicar que, na sequência do corte de cinco por cento na transferência do Orçamento de Estado para os cofres do município, pretendia diminuir essas transferências para as juntas de freguesia em igual percentagem”, o que significaria um corte de trinta mil euros em relação a 2011, ou seja, em vez dos habituais 609 mil euros, a verba a transferir seria de 579 mil. Mas a justificação não acolheu parecer favorável junto dos vereadores da oposição, actualmente em maioria numérica. O Partido Socialista chegou a apresentar, pela voz do vereador José Vitorino, uma proposta alternativa, sublinhando “a urgência de se procederem às transferências para as freguesias de acordo com as necessidades reais de cada uma” e não com base em critérios abstractos. Os “Independentes por Tomar” justificaram o voto contra porque a proposta de transferência apresenta uma redução significativa face a 2011. “As Juntas de Freguesia, cujo importantíssimo papel de proximidade junto das populações nunca é demais salientar, vão ficar mais limitadas na transferência de verbas a que têm direito, sendo certo que a Câmara Municipal não tem capacidade para substituí-las”, alertam. No final, Carlos Carrão, acusou Partido Socialista e Independentes por Tomar de estarem a retardar a transferência de verbas para as Juntas de Freguesia e o verniz acabou mesmo por estalar com Pedro Marques e Luís Ferreira, a sublinharem que estão disponíveis para chegar a um consenso sobre a matéria em causa.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo